Madeixas

Além da Henna: Como ter cabelos pretos ou castanhos com Índigo

Ahhh, o Índigo… há tanto tempo escutava sobre ele e quantos anos demorei para experimenta-lo! Tudo começou em janeiro de 2018, quando fiquei com uma vontade louca de voltar à minha cor natural. Voltei pro meu castanho primeiramente com tinta comum, mas não adiantou a longo prazo. Foi ai que lembrei do índigo e de seu poder de colorir o cabelo naturalmente em tons de castanho a preto! E, mais uma vez, as alternativas naturais me surpreenderam. Agora, chegou a vez dessa belezinha receber um post só para ela.

Cabelo preto antes e depois com índigo - madlyluv.com
Meu cabelo antes e depois de colorir com índigo. Ignora o fundo de tijolinhos, hahaha! Era o melhor lugar com luz para mostrar da forma mais fiel possível.

Este post requer conhecimentos prévios sobre uso, manuseio e formas de uso da henna pura. Segue alguns posts abaixo para você se informar:

Aproveite e leia também:

Ruivices: Guia básico de Colorimetria para iniciantes
Manual da Henna: uma alternativa natural, saudável e barata para ter cabelos ruivos

O que é o Índigo?

O índigo é nome dado à cor do pigmento escuro e azulado extraído de plantas leguminosas do gênero Indigofera spp.. As plantinhas deste gênero são conhecidas como Anileira, mas também tem os nomes Anil, Erva anil, Guajana, Timbó, Caa-chica, Jiquilite, Anil-das-lavadeiras, dependendo do local onde é conhecida.

Há mais 200 espécies que pode se retirar o pigmento! As plantas crescem nos continentes Africano, sul da Ásia, América tropical, Europa e Austrália. O pigmento não é visto a olho nu na planta, já que o composto precursor do pigmento é incolor. Só em contato com água morna (e da oxidação) que é liberado o indoxyl, de cor azulada (fonte).

Planta Indigofera para pintar de anil
Indigofera tinctoria, uma das plantas do gênero que se extrai o pigmento. Foto: Amazon.

Breve histórico e propriedades medicinais

Há indícios do uso do índigo como coloração há 6mil anos, começando pela Índia; sendo amplamente usado nas regiões da antiga Mesopotâmia para pigmentação de lã; no Egito antigo para pintura de murais e pasta de bandagem das múmias; e na Grécia antiga e Roma. Também passou a ser usado na Grã-Bretanha (fonte) juntamente com outra planta que se extrai pigmento, a Isatis tinctoria, conhecida como Pastel. O índigo foi amplamente usado na antiguidade e ao passar dos séculos por ser facilmente obtido, com pigmentação estável e resistente à lavagem, podendo obter diversas tonalidades de azul e lavanda se misturado à outras plantas (fonte). Atualmente o índigo é conhecido por dar a cor azulada ao jeans.

Apesar do principal uso seja para pigmentação, as folhas amassadas das plantas podem ser usadas para combater sarna, enquanto o chá das raízes têm poder de combater vermes intestinais, febre e icterícia (fonte). Mas usar o índigo para uso medicinal de forma indiscriminada, sem acompanhamento ou indicação médica, pode acarretar sérios problemas de saúde.

Aviso: não achei artigos concretos se pode ou não colorir os cabelos com índigo na gravidez. Por não ver nenhuma informação concreta, eu não recomendaria o uso do índigo nestas condições. ⚠️ Sempre é bom se prevenir e consultar um médico antes de partir para qualquer procedimento (mesmo sendo natural).

O que é preciso saber antes de pintar?

Fazer a receita de índigo para usar no cabelo é basicamente a mesma coisa com o uso básico da henna: misturar à água morna. Entretanto, o Índigo tem suas particularidades:

  • Diferente da henna, o índigo não se dá bem com ambiente ácidos. Sua pigmentação se dá pela oxidação e sua fixação é favorecida em meios alcalinos. Portanto, nada de aplicar em cabelo que foi usado condicionador antes, só shampoo! Caso use em associação à uma receita de henna, não faça a receita da mesma com algo ácido (como vinagre, suco de laranja ou limão).
  • O índigo deve ser usado imediatamente após a criação de receita. O pigmento libera muito rápido e fica inútil poucas horas depois. Por isso, a receita não pode ser congelada pra usar depois pois estraga. Se sobrar, infelizmente precisa jogar fora.
  • Se usar henna é praticamente um casamento, com índigo é mais ainda! Apesar de desbotar mais facilmente que a henna, o índigo não sai 100% — nem com descoloração! Ao usar água oxigenada no processo de descoloração, o cabelo fica verde, porque ainda terá pigmento azul. Azul escuro com amarelo dá o que? Isso mesmo: verde. Portanto, se algum dia pretende clarear o cabelo, jamais use índigo, pois ficará com cabelo cor de pântano, hahaha. 😂
  • O índigo não mancha azulejo, mas se entrar em contato com tecidos (principalmente de origem natural, como algodão), já era. Será uma lembrança pra vida toda.
  • Não se desespera se logo ao aplicar o índigo no cabelo começar a soltar uma água esverdeada (não, você não ficará com cor de pântano por causa disso!). Com o passar dos minutos de descanso (ou em qualquer lugar que for cair, rs), a mistura vai tornando-se azul.
  • Não precisa se preocupar com a dosagem de água para diluir e ter diferentes pigmentações para ter tons mais abertos ou mais fechados de azul. O que vai definir o tom de castanho ou preto dependerá de seu uso associado à henna. Vai aplicando água até adquirir a textura inicial de purê de batata cremoso.
  • Já separa para uma toalhinha pra ser pintada de azul, pois você vai precisar. Índigo retém água rapidamente e libera essa água também muito rápido. Em outras palavras: vai escorrer horrores por todos os orifícios possíveis da touca! O índigo tende a adquirir uma textura de areia molhada com o passar dos minutos (ao invés da textura de yogurte como é na henna), retendo a água por muito menos tempo. A boa notícia é: isso não interfere na fixação. Só dá mais trabalho mesmo. Certifique-se de aplicar enquanto ainda está em consistência cremosa.
  • Se for usar henna com índigo, use a henna 100% pura! Ela é a única com o poder de fixação a longo prazo para trabalhar em conjunto com o índigo de forma eficiente.

Aproveite e leia também:

Antes e depois de usar henna, receita e cuidados

Como adquirir tons de castanho e preto

Quando usamos henna (já com pigmentação liberada) misturada ao índigo, podemos obter diversas cores de castanho. Quando mais henna na mistura, mais aberto e aloirado e/ou acobreado fica o tom. Enquanto mais índigo, mais fica escuro e castanho. Simples assim.

Entretanto, se usar só o índigo puro num cabelo sem estar com base acobreada e/ou amarronzada (a não ser que o cabelo seja muito escuro), não trará uma cor tão bonita quanto pensamos. Em cabelos loiros, por exemplo, se usar só índigo o cabelo ficará verde (lembra da cor de pântano e a combinação amarelo + azul, né?). Por isso que associar à henna é tão importante, pois o cobre tende a anular o azul do índigo e trazer um tom mais natural. Veja abaixo uma imagem que ilustra o uso das proporções de índigo com henna.

Receita para pintar de castanho

A mistura para adquirir tons castanho é adicionar tanto a henna quanto o índigo na mesma receita. Neste caso, é necessário primeiro fazer a receita da henna, aguardar até dar o ponto dela ter liberado pigmentação pra só então usar. Aqui você não precisa se preocupar muito com dosagem de água, já que você não estará controlando o tom de ruivo. Você só precisará do tom acobreado. A sua preocupação maior será a quantidade de henna para o tanto de índigo que será misturado (o diagrama acima serve como noção das proporções). Segue os passos:

  1. Adicione água morna (temperatura que não queime a mão) no pó de henna numa cumbuca de plástico ou de vidro (nunca metal!) até adquirir textura de papinha cremosa. Não pode ser muito grossa nem muito aguada. Espere liberar o pigmento. Isso pode levar algumas horas dependendo da temperatura do local. De tempos em tempos, adicione um pouco da mistura na palma da mão, espere uns 3min e lave. Se a mancha que ficar no local for um laranja bem forte, quer dizer que está pronta para uso.
  2. Com a henna pronta, reserve-a. Em seguia, em outra cumbuca (lembre-se: nada de metal) da mesma forma como fez com a henna, misture o pó de índigo com água morna adquirindo o mesmo tipo de textura cremosa.
  3. Adicione a proporção de henna desejada na mistura do índigo e misture bastante até seu braço doer, haha. Precisa misturar MUITO BEM para não ter o risco de cabelo manchado! Vá acrescentando a proporção desejada tomando como base o diagrama acima.
  4. Após as duas receitas misturadas, aplique no cabelo úmido lavado só com shampoo. Aplique com auxílio de luva e pincel. Aplique em mechas pequenas para se certificar que irá pegar todos os fios e quando terminar aplique uma touca ou com plástico de cozinha.
  5. Aguarde por, no mínimo, 2h com a mistura no cabelo. Quanto mais tempo ficar, mais intensa será a cor.
  6. Lave apenas com água (de preferência fria). Se ficar muito difícil para limpar, pode usar condicionador. Depois, aguarde por pelo menos 24h até lavar o cabelo com shampoo novamente pois o índigo precisa de um tempo para se fixar.

Receita para pintar de preto

O processo para ter cabelo preto é um pouquinho diferente e mais demorado. A sacada é: em vez de misturar as receitas de henna e índigo para pintar de castanho, é só aplica-las de forma separada. Primeiro se aplica a henna, deixando de 2h a 3h no cabelo; lave; e só então aplicar a receita de índigo. Pode aplicar no dia seguinte também (não é obrigatório passar logo em seguida no mesmo dia) se não tiver tempo. Pra adquirir um tom bem pretinho, o legal é ficar com o índigo por umas 4h.

Se quiser deixar o preto mais "profundo" e ajudar a fixação, aplique uma pitada de sal na mistura quando estiver aplicando a água morna à receita de índigo. Isso é usado para o fixar o pigmento nos jeans, pois o sal ajuda na alcalinidade da mistura. Tecnicamente não faz mal aos fios, mas com mudança de pH as escamas dos fios ficam mais abertas, deixando o cabelo com um aspecto um pouco poroso. Mas nada que uma máscara de tratamento não resolva, pois estes produtos costumam ser de pH ácido. É interessante fazer o teste da receita com o sal enquanto estiver realizando o teste de mecha. Cada cabelo, uma sentença.

Minhas experiências e resultados

Cabelo castanho antes de usar índigo - - madlyluv.com

No meu caso, o índigo era a perfeita solução pois eu queria anular 100% o cobre, então recorri ao método de usar henna e índigo separados. Este foi processo que recorri nas duas primeiras vezes para manter o meu cabelo bem escuro e o mais semelhante à minha raiz virgem.

Ao lado você conseguirá ver o meu cabelo antes de passar índigo, com tinta desbotada, sobressaindo o cobre da henna. A raiz estava virgem, com mais ou menos uns 5 dedos crescida. Dá para ver a diferença nítida entre raiz e parte desbotada?

Cabelo preto com índigo - madlyluv.com

Na foto ao lado você conseguirá notar a maravilhosidade que ficou o cabelo logo após usar o índigo! Ficou com um aspecto até mais sedoso e brilhoso. 😍 A henna por baixo foi anulada pelo índigo, ficando bem pretinho. Como minha base já estava acobreada, só passei a receita da henna na parte virgem e em seguida passei o índigo no cabelo inteiro.

Para manter o tom, tenho usado as receitas unidas, com apenas um sustinho de henna na receita. Apesar de pouco, a henna ainda faz milagres no meu cabelo, sendo ótima pra dar força e combater a queda!

Apesar do índigo desbotar, ele vai se fixando cada vez melhor com uso contínuo. Quanto mais se usa, mais tempo fica no cabelo! Na minha primeira vez, o acobreado apareceu de forma significativa em apenas duas semanas no meu cabelo (e ainda sim, continuava mais escuro em comparação à foto acima). Já na segunda vez levou cerca de uns dois meses para o cobre dar as caras, com umas leves nuances acobreadas no sol (nem na luz artificial aparecia!).

Como saber a quantidade que se deve usar

Vai depender bastante de cada cabelo. Uso praticamente todo o pacote de 100g de índigo na cabeça (tenho fios relativamente finos e na altura do ombro). Já com a textura mais estável da henna eu consigo usar só metade do pacote (50g). Estas medidas são de uso separados. Se eu quisesse usar uma receita que fosse 50% henna e 50% índigo, eu usaria só metade do pacote do índigo (como ele seria misturado à henna, eu conseguiria fazê-lo render mais e ficaria em igual proporção).

Vale lembrar que só a henna pode ser congelada, durando até 6 meses no congelador. É mais fácil fazer uma receita inteira de um pacote de henna, usar o que for preciso na receita de índigo recém criada e guarda-la para usar na próxima vez. Atente-se à quantidade de índigo: ele não pode ser reaproveitado; mesmo com henna acrescentada nele, ainda continuará inútil depois de algumas horas.

A influência da base

Obviamente, a cor do cabelo antes de passar a mistura também irá influenciar diretamente na cor. A tabelinha que mostrei ali em cima é mais para ter uma noção de como funciona as proporções. Portanto, cabelos escuros, permanecerão escuros — e a tendência é escurecer mais, visto que nem Índigo nem Henna são capazes de clarear cabelo. Se usar a mistura da tabelinha acima de louro escuro em cima de um cabelo castanho escuro, os fios ainda continuarão escuros. Só cabelos mais claros vão adquirir altura de tom semelhante à ilustração do diagrama.

E os fios brancos?

Fios brancos só conseguirão atingir tons de castanho utilizando o método de usar as receitas separadas (ou seja, primeiro henna e depois índigo). Somente a henna que tem o poder de ser permanente, e será ela que ajudará a segurar o índigo e servir de base de pigmentação.

Cuidados com o cabelo

Já falo isso há anos por aqui: cada cabelo, uma sentença. Entretanto, tem alguns padrões que acontecem com reações são mais previsíveis. Assim como qualquer planta que já passei no meu cabelo, o índigo também deixa o cabelo um pouquinho durinho, mas nada absurdo e que mude meu dia-a-dia. Já sofri muito mais com a henna neste sentido antigamente quando eu usava ácido na receita (era um principais fatores que enrijeciam meus fios). No meu post de antes e depois da henna dei dicas de alguns produtinhos muito bons para ajudar a trazer mais flexibilidade aos fios. A dica ainda permanece.

Aproveite e leia também:

Cronograma Capilar: Os mitos e verdades sobre ele e dicas de produtos
Antes e depois de usar henna, receita e cuidados
8 óleos vegetais milagrosos para o seu cabelo

Agora, segue abaixo outras dicas:

Os produtos acima são liberados para técnica low-poo, sendo os 2 primeiros também para no-poo.
  • Máscara Crece Pelo: maravilhosa para hidratar, mas eu acabo sempre precisando usar algum óleo para abaixar um pouco o volume, pois ela deixa o cabelo tão soltinho que arma fácil, rs. A desvantagem é que não é encontrada em lojas físicas de cosméticos por ser importada. Mas não é difícil achar no Mercado Livre (basta ver um fornecedor de confiança) e tem valor semelhante às outras máscaras da lista.
  • Creme de pentear Milagre, da Lola Cosmetics: eu não uso como creme de pentear, mas sim como condicionador. Foi o melhor condicionador que já usei na vida e uso há uns 4 anos. Eu nunca recomendei por aqui no blog pois os produtos da Lola sempre foram muuuuito caros, pois era vendido apenas a versão de 1kg. Recentemente lançou a versão menor de 430g, ficando mais acessível. É um produto que realmente vale a pena o investimento se usado como condicionador por usar em pequenas quantidades. Só para você ter uma ideia, eu diluo em água — sim, sou muquirana — e ainda dá o mesmo efeito, rs. Faço o potão de 1kg render quase um ano, haha.
  • Máscara Natura Murumuru Ekos: Esse é o substituto da linha Castanha que eu tanto adorava. Não é tão eficiente quanto seu antecessor, mas ainda sim é uma ótima máscara pra reposição de lipídios e deixar o cabelo beeem macio e com menos frizz. Na verdade, a linha inteira de Murumuru é ótima! Experimenta também o pré-shampoo, que é incrível para ser usado antes de ir pra piscina.

Onde comprar

Assim como a venda de Henna pura e Cassia, se acha mais fácil pela internet do que em loja de produtos naturais. Já recomendei as minhas lojas de confiança nos outros posts sobre o assunto, mas coloco aqui novamente:

  • Henna Eu, de Brasília. Revende diversas marcas de ervas naturais e todas de boa qualidade. Sempre me renderam o mesmo efeito.
  • Iara Henna, de São Paulo. Revende produtos da marca Yogi Globals.
  • Casa da Índia, de Belo Horizonte. É a marca 100% brasileira mais famosa que vende ervas naturais. Nos últimos meses o acervo de produtos naturais para coloração aumentou, passando a vender também Amla e Cassia, além de Henna e Índigo!
Pacotinho de índigo orgânico. Marca indiana NMP Ufhyog, revendida pela loja "Henna Eu".

O preço varia de R$28 a R$40 o pacote de 100g. Sinceramente, não é algo muito acessível para quem precisa pintar o cabelo todo mês — mas em alguns casos é a única alternativa para quem tem alergias às colorações artificiais. Quem ainda não precisa pintar regularmente, o investimento é mais brando, já que o índigo vai se fixando ao longo do uso contínuo. Atualmente eu uso 1 pacote a cada 4 meses.


Conclusão

Nos primeiros meses, quando eu pintava com tinta artificial cor castanho acizentado, já na 3ª lavada meu cabelo ficava marrom e pegava fogo no sol de tão cobre que era. 😓 O pigmento da henna é uma coisa braba de esconder. Acredite, é real oficial! Nenhuma tinta cobriu, muito menos tonalizante preto azulado. 😒 Para piorar, meu cabelo estava caindo muito devido às colorações seguidas uma por cima da outra. Não foi igual com henna que eu só clareava a raiz, sabe? O índigo foi a melhor alternativa capaz que anular o cobre de forma digna e a longo prazo.

Espero que tenha gostado deste post, que tenha agregado e feito diferença na sua decisão de como mudar ou manter a cor de seu cabelo de forma mais natural. 💖

"Além da Henna" é uma tag do mLuv destinada ao uso consciente de extratos botânicos e outros aditivos naturais em seu formato nativo, óleo vegetal ou em pó para fins cosméticos e uso externo que podem ser usados de forma independente ou associados à henna (Lawsonia inermis). As informações sobre uso fitoterápico e medicinal são apenas de caráter de curiosidade (você pode saber mais a fundo nos links de sites e artigos científicos espalhados nos posts como referência). Vale lembrar que qualquer ingrediente (mesmo sendo natural) é passível de alergias ou adquirir intolerâncias. Portanto: prova de toque e teste de mecha sempre!


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público. Caso alguém responda o seu comentário aprovado, você será notificado via e-mail.

  • Stephanie Ferreira

    Menina eu queria ter lido este post completão e perfeito quando usava henna, porque foi horrível tirar o ruivo do cabelo, fui da forma mais agressiva possível, tirando tudo com vários e vários descolorantes. Deu certo, mais demorou muito a recuperação ):
    Seu cabelo ta lindo!!

  • Samanta dafini

    Produtos naturais, são produtos naturais né? Eu eu amei o post, e nunca pensei em dar essa tonalidade ao cabelo, mas simplesmente está a coisas naturais me dá vontade de fazer tudo.

    https://www.dosedeestrela.com.br/

ir ao topo