Leitura

Resenha: Convergente

Livro: Convergente
Série: Divergente
Autor(a): Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: Livro em seu formato digital
Classificacao:
Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.

Eu quero te dizer o quanto este livro me emocionou, me deixou com raiva e, ao mesmo tempo, maravilhada. Convergente foi muito mais do que os outros livros da trilogia. Ganhou o meu coração. Talvez você não concorde comigo, caso você tenha lido este livro, mas o achei incrível.

Antes a trama girava em torno das rixas entre as facções e como Tris se desenvolvia e se descobria em sua divergência. Neste volume o tema sobre a natureza humana foi o novo foco, e como a descoberta de um mundo além da cerca abalou as estruturas dos personagens.

Enquanto em Insurgente Tris quase perdia sua sanidade pelo peso de sua culpa e traumas adquiridos no final de Divergente, em Convergente ela se torna uma garota centrada e consciente que sua vida é valiosa. O relacionamento dela com Quatro se eleva a outros patamares enfrentando ao mesmo tempo problemas de ciúmes e confiança.

A divergência toma outro rumo. O que antes era uma ameaça ao sistema, se tornou uma espécie de salvação para o mundo lá fora. Mas surge dúvidas em como isso pode influenciar na natureza humana e se isso torna alguém melhor que o outro. Será que isso era possível? Uma disfunção genética antes agora considerada perfeição? Todos nós sabemos que ninguém é melhor do que ninguém. Pessoas são distintas e todos nós temos defeitos e qualidades. Não há perfeição. E Convergente nos mostra muito bem que caráter e valores morais valem muito mais do que genes.

Conclusão

Eu tenho que confessar que em alguns pontos a história peca, me fazendo tirar uma estrela da classificação. A descoberta do mundo além das cercas, as explicações sobre os motivos que levou Chicago a ser o que ela é atualmente, os motivos da Guerra a dezenas de anos atrás… achei que a autora deixou um pouco vago, ou que não soube explicar tudo tim-tim por tim-tim. Veronica Roth poderia ter se empenhado mais nestes aspectos.

Por outro lado, conhecemos Tobias a fundo pois ele também se torna narrador! Achei fantástica esta forma de narrativa, tornando a leitura mais complexa e nos mostrando outro ponto de vista. E, além disso, os outros personagens antes coadjuvantes, neste volume ganham quase o mesmo peso que os protagonistas. Todo personagem é crucial e tão complexo quanto o outro. Neste quesito, a autora trabalhou muito bem na humanização dos personagens.

Eu não estava pronta para me despedir da trilogia. Demorei um mês para ler o livro porque eu não queria acabar! Fiquei lendo aos pouquinhos e mastigando tudo o que poderia digerir da história. Vi resenhas criticando-o negativamente até o último fio de cabelo, e li spoilers que eu me recusava a acreditar. Entretanto, o final Convergente me emocionou (e muito), e sofri horrores. No começo eu não me conformava com o final, mas depois de me acalmar e pensar no desenrolar da narrativa como um todo, descobri que não poderia ter um final diferente do que foi relatado. Quem leu Divergente e Insurgente sabe que a ousadia da Audácia e o altruísmo da Abnegação andam de mãos dadas, que ambas são extremamente corajosas. E Tris é o melhor exemplo disso.

Você já leu Convergente ou algum dos livros desta trilogia? Me conte o que achou!


Comentários

╳ Cancelar
Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Fiama

    Eu sei exatamente o que vc passou lendo o livro, posso dizer que é primeira resenha que leio que fala bem do Convergente, li a trilogia em um pouco mais de uma semana, isso por que fui ler resenhas do Convergente e não aceitava que iria me decepcionar, já que era isso que diziam nelas,por esse motivo demorei a ler o terceiro livro. Fui lendo devagar quase parando, mas no capitulo 16 mais ou menos o livro me conquistou, e terminei de ler em uma madrugada e sofri muito0(muito mesmo) . Ter a visão do Tobias fooi crucial pra mim, ver esse lado dele tão sensível e ingênuo, mais ao mesmo tempo forte, ele é perfeito, mesmo na sua imperfeição se é que me entende! Amei o livro, amei a trilogia, queria mais uns 3 livros haha' Beijos, amei a resenha!

    • Aninha

      @Fiama, que bom que gostou da resenha! Eu não entendia porque todo mundo falava mal dele. Só porque ele não tomou o rumo previsível? Ah, pelamor, né?! Não podia ter final melhor! Fiquei inconformada no começo, o que é inevitável, mas depois pensando com calma notei que foi um final espetacular. Foi épico.

  • Fernanda N

    oie aninha, tudo bom?
    menina, eu não li o livro ainda… nenhum da trilogia, pra ser franca. mas eu assisti o filme e gostei bastante. até fiquei com medo de ler o post e ver algum spoiler, mas a tua resenha está ótima, explica um pouco da história, sem revelar nada do enredo. quero ler os três livros, assim que der. tem algumas outras trilogias que quero ler também (além de livros avulsos também), então vou colocar na fila e quando sobrar $$$$ e tempo eu leio… mas tenho certeza de que vou gostar! se for melhor do que o filme, com maior probabilidade ainda! 😉
    beijoooo

    • Aninha

      @Fernanda N, com certeza é melhor que o filme. Eu adorei o filme e achei que ele foi bem fiel. Superou minhas expectativas! Eles só distorceram um catiquinho o final e ocultou alguns personagens importantes, mas acho que não influenciará no restante da estória. E leia o livro sim! É maravilhoso *-*

  • Veramar

    Estou super animada para começar a leitura de divergente, mas antes vou terminar a trilogia de A Seleção (que está me cativando). *u* divergtente se assemelha em algum ponto com Jogos Vorazes?

    • Aninha

      Oi @Verinha! Então, Divergente se assemelha a Jogos Vorazes somente pelo fato que ambos são distopias e as protagonistas são ícones femininos de personalidade forte. A estória de Divergente (pelo menos ao meu ponto de vista) é mais profunda do que Jogos Vorazes, que envolve mais política e jogo de poder do que qualquer outra coisa. Pr mim, parava no primeiro livro. Em Divergente também há esta questão, mas a autora trabalha muito nos personagens e em suas atitudes. A trama gira em torno de valores morais e na natureza humana através dos acontecimentos de uma comunidade pós-guerra. Muito mais profundo do que Jogos Vorazes. Este último acabei abandonando o último volume pela metade de tão chato que estava a estória. =/

  • Nellie

    Cara, eu não li ainda… e tinha receio de ler porque a primeira impressão que ficou na minha cabeça foi "outro the hunger games"? mas li umas trocentas resenhas e as suas Ana, particularmente, me deixaram curiosa. Eu vi o filme antes -do mesmo jeito que aconteceu com the hunger games- de ler, então fico com medo de ler e descobrir que o filme fez uma bela cagada com o livro kkkkk algumas pessoas falaram que é diferente e etc. Então sra. Ana, pare de me deixar curiosa kkkkkkkk vou a falência assim! Mas a resenha realmente está ótima até pra mim que não li ainda 😀 assim que eu ler, comento p/ vc o que eu achei.

    ps: esse teu layout tá muuuuuuuuuito a tua cara!
    Beijão.

    • Aninha

      @Nellie, não tem nada a ver com Jogos Vorazes exceto pelo fato que ambos são distopias e as protagonistas são ícones femininos de personalidade forte. A história não tem nada a ver e achei mais profunda do que Jogos Vorazes, que acabei abandonando o último livro pela metade de tão chato que estava. No geral, eles não fizeram uma cagada no filme pois ele foi fiel quando se comparado às adaptações que vemos por ai (exceto A Culpa é das Estrelas, que foi 99,99% fiel kkkkkk), mas eu confesso que eles distorceram um pouco alguns fatos do final, mas não acho que isso foi algo destrutivo para a adaptação.

      Acho que você não se arrependeria de ler esta trilogia, heim sra. Nellie!! Baixa o e-book, se você tiver uma tablet! Eu não gastei um centavo (porque, sim, eu me nego a comprar ebook que têm quase o mesmo preço que o livro físico; um absurdo!). 😀

      PS: Obrigada quanto ao elogio sobre o layout!!!! Você é uma fofa!! *——* <3

      Beijocas!

  • willa magna

    olha, terminei o meu ontem, e vou te contar, ainda estou INCONFORMADA. kkkkk
    demorei horrores tambem, coisa de 1 mes pra ler, nao queria que acabasse e pelo desenrrolar da historia eu ja tava imaginando o que ia acontecer, me acabeeeei de chorar. mas AMEI a triologia, confesso que gostei mais do segundo, fico imaginando ja o filme ( que nao curti muito o primeiro) mas imagino que o segundo vai ser cheio de ação. e realmente, ela deixou muito vago os motivos e detalhes da guerra de anos atrás.
    você lê no tablet? ou é algum leitor digital? eu leio no Kobo =)
    adorei a resenha. ;**

    • Aninha

      @Willa, eu chorei horrores quando terminei. Sofri demais!! Eu chorava de soluçar em ver o sofrimento daquele determinado personagem no final, a ponto que até querer perder a memória. Foi muito triste! Eu me senti melhor depois que li um artigo que a Veronica Roth escreveu depois falando sobre o final. Se você quiser ler depois, o link é este http://bit.ly/TPk1KC *spoilers*
      Sobre o filme, eu gostei muito! Mas achei que eles distorceram um pouco o final, mas como eu não fui com muitas expectativas, acabei gostando, hehe. Eu também imagino que Insurgente tenha mais ação!
      Eu leio bastante pelo iPad, Willa! Baixo os livros em formato de .epub e coloco no iBooks para ler. Eu queria um kobo ou um kindle, mas acho que não compensaria para mim por causa que já tenho uma tablet… e ela não me decepciona, hehe. xD
      Que bom gostou da resenha!
      Beijocas!

Veja mais comentários:
1 2
ir ao topo