Blogosfera

Profissão blogueiro: Até quando?

Tenho visto muitos posts relatando sobre como a blogosfera está tomando forma no mercado e tornando-se um negócio rentável para blogueiros, virando ícones e referências de moda e comportamento. O blogueiro calouro, de 2 anos para cá vem querendo algo muito mais além do blog: quer deixa-lo rentável. Há até aqueles que largam tudo o que faz só para se dedicar ao blog! Com dedicação, assuntos interessantes (independentemente se são profundos ou superficiais), com um certo dinheiro investido e com um pouquinho de sorte, torna-se uma belíssima fonte de renda. Daí, eu me pergunto: até quando isso irá durar?

Atenção: Este post somente se aplica a blogueiros meros mortais que nem eu, a Re vitrola e de muitas outras blogueiras, haha. Não nasci ryca, muito menos phyna. E vamos e convenhamos, ter a lot of money ajuda muito no crescimento de um blog se você for uma socialite que provavelmente já nasceu no conto de fadas e com certeza morrerá nele (com ou sem blog, haha).

Com toda certeza, não estou desmerecendo o trabalho de nenhum blogueiro mortal que, com muita garra e suor, conseguiu fazer com que sua renda venha de um blog. Na verdade, admiro muito o ato de deixar tudo para se dedicar! Imagino o quanto seria maravilhoso viver disso. Mas não sei até que ponto isso é corajoso o bastante quando se pensa em uma carreira profissional a longo prazo.

Estou na blogosfera realmente através do Madly Luv há 7 anos e já vi muitas mudanças na realidade da blogosfera. Sou dos "primórdios", e vivi de forma muito intensa a época dos blogs em bevel, dos quais a fama não estava nada relacionada à renda. O blogueiro gostava de postar para compartilhar, às vezes desabafar, comentar sobre seus livros, filmes e séries favoritas, falar sobre seu cotidiano e conhecer novas pessoas. Hoje ainda há muitos blogs assim, graças a Deus! Mas a problemática dos novos blogueiros atualmente é na sede de dinheiro e poder que um blog pode trazer.

Não julgo uma pessoa que só cria um blog para ganhar dinheiro com ele, apesar de não concordar. Não gosto da ideia de ter um blog pensando apenas em números. Sinto muito, mas sou das antigas. Entretanto, não vejo nenhum problema em um blog que antes era o hobbie de alguém que depois veio a virar fonte de renda. Ok, isso é lindo. Mas daí volto à pergunta deste título: até quando?

Sabemos que tudo o que gira na internet é algo muito efêmero. Sites, blogs e mídias sociais têm o seu boom e depois esfriam. Alguns morrem e outros ainda continuam. Mas ninguém garante que os que continuam hoje não serão substituídos ou ser colocados em escanteio quando outros chegarem com propostas melhores. Acredite em mim, fiquei um ano estudando sobre a web para meu TCC e te digo: Isso é algo extremamente natural e necessário para o avanço da tecnologia e cultura na web. Tudo tem chances de ir embora na mesma rapidez que chegou e isso é comum.

O que pode ser um sonho lindo e realizado para muitos blogueiros famosos, talvez não passa de um lindo conto de fadas que pode se extinguir daqui a alguns anos. Está sendo arriscado eu dizer isso? Talvez. Serei julgada pela minha opinião? Com certeza. Mas eu sou uma daquelas pessoas que gostam de traçar metas para o futuro pessoal e profissional, e eu, Ana Flávia, tenho uma séria dificuldade em ver a blogosfera daqui a alguns anos com a mesma probabilidade rentável que é atualmente — grifo o "rentável" porque estou falando especificamente em viver do blog e de sua publicidade, sem profissões paralelas ou berços de ouro. Talvez a forma rentável mude ou continuará e pagarei minha língua, mas quem dará esta garantia?

Por isso, eu sempre busco incentivar os blogueiros a procurar crescer em sua profissão de forma independente do blog, mas sem deixar de dedicar a ele enquanto puder. Faça metas, planos, trabalhos, projetos e tudo o que você puder para enriquecer o seu currículo fora do blog, mas também é legal fazer metas e planos para ele também! O seu blog também não deve ser desvalorizado.

Quem me dera viver do Madly Luv a vida inteira, construir uma casa só de sua renda, ter meu carro, minha vida toda resolvida, estabilidade financeira, sustentar minha família somente desta forma. Mas eu preciso ser realista. A cultura na internet está em constante mudança e, a blogosfera, mesmo sendo a ditadora de tendências, é refém desta cultura virtual e da tecnologia. A profissão de blogueiro é linda, mas com certeza não deve ser única e exclusiva na vida de alguém. Devemos lembrar que o sucesso de um blog hoje pode não ser o mesmo amanhã.

E é tão bom trabalhar com outra coisa além do blog… Pode estar ligado ou ser consequência dele, como aconteceu comigo quando descobri minha vocação através do Madly Luv, mas ele especificamente nunca me trouxe renda satisfatória e estável como eu consigo com o meu emprego. Ele muitas vezes é o meu cartão de visita para novos clientes, e eu adoro isso! Mas sei que não posso contar só com ele. O Madly Luv já foi muito mais famoso, mas eu escolhi investir na minha faculdade e em meu currículo. E graças a isso que consegui meu cargo de designer dentro da UFG. E hoje, tenho o blog simplesmente porque ainda amo compartilhar coisas com os meus leitores! Ele me faz feliz nas horas vagas e é uma grande passatempo para mim, independente se ele já teve seus dias de ouro ou não.

Meu caro leitor, a vida fora de um blog também é maravilhosa e merece ser lembrada. Viva-a intensamente e construa sua carreira nela. Depois compartilhe-a com a gente, hehe. 😎

Falando em compartilhar… o que você acha deste assunto?! Concorda ou discorda do que abordei aqui em cima? Estou ansiosa para saber o que você pensa sobre isso. ;D


Comentários

╳ Cancelar
Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Re Vitrola

    Aninha, muito bom! Ainda não tinha pensado por esse lado, e é isso que adoro na blogsfera.
    Acho válido aproveitar as oportunidades, mas também ficar consciente. Por exemplo, o pouco que o blog me rende, invisto na minha verdadeira profissão, que é ilustradora. Não sei se isso vai acabar ou não, mas é sempre bom ter um plano B, né? Fora que isso é tão mutável (só observar como eram os blogs há 5 anos atrás e agora).

    Adorei seu post e a sua visão sobre o assunto. E obrigada por citar o muié vitrola!
    Um beijo,
    RE

  • Amanda Almeida

    Oi Ana, tudo bem? Acho que essa parte rentável da blogsfera é um tema complicado. Mas acredito que quem se arrisca tem que ter em mente que esse mercado é mutável e que dessa forma o blogueiro precisa acompanhar. Eu particularmente vejo o meu blog apenas como um hobby mesmo, um lugar em que expresso minha opinião sobre os livros que leio, e nada mais. Tenho planos relacionados a isso, por exemplo, conseguir ser uma tradutora literária, mas é algo que está completamente fora desse meu universo blogueiro, mesmo que de certa forma tenha relação.
    Achei a discussão válida, e se essa onda vai durar ou não, só o tempo dirá. Mas falando como leitora, prefiro blogs não tão comerciais, acho que tem uma beleza diferente quando algo é um pouco mais pessoal.
    Abraços,
    Amanda Almeida

  • Lari

    Ei, Aninha. Essa febre em tornar o blog rentável me desanima às vezes: percebo que mais blogs são criados com 90% deste intuito. Mas quanto à estabilidade de daqui há 10 anos, todos nos corremos este risco, ainda mais aqueles que se arriscam a ter seu próprio negócio: para os empreendedores, não há estabilidade. Para mim, a estabilidade é uma ilusão: daqui há 10 anos publicitários podem não ser tão necessários mais, muita coisa pode acontecer, e não é só com os blogs. Vejo que há pessoas que se sustentam só com o blog mesmo (caso da Justlia, Melina, Bruna Vieira, etc). Não sei se elas vêem ou não o mundo lá fora, mas de uma coisa estou certa: elas estão felizes. E estabilidade? Bem, estamos sujeitos a ela. Profissões, donos de empresa, e a graça da vida está nas mudanças. =)
    Bem, acho que faltava um post desse na blogosfera, Aninha. Eu não serei hipócrita: antes, comecei a encarar o blog antigo como uma obrigação. Não aguentei,e tanto saturei em pensar "preciso fazer sucesso com o blog" que excluí. Hoje ele é meu porto seguro, válvula de escape, e to feliz com ele assim <3
    Muito bom teu texto, Aninha. Você é uma inspiração pra mim, já disse isso? Desde o Quase Descolada sempre fui leitora assídua (gasparzinho, confesso, mas sempre por aqui fuçando seus posts). :')

  • Rithynha

    Bom dia moça tudo bem?

    Gostei muito do seu texto. Concordo com a sua opinião e também acho que é válido "ter uma vida fora" do blog. Também sou uma blogueira das antigas que gosta de ter um diário virtual onde posso compartilhar minha rotina.

    Infelizmente essa nova blogsfera vende a mesma ideia do futebol, onde todos os jogadores serão ricos e famosos quanto Neymar, Messi, Ronaldo e etc. Mas quantos sonhadores pra um jogador multimilionário? Quantos milhões de blogs para uma blogueira famosa e rica?

    Há sim quem tenha essa habilidade de fazer renda com o endereço virtual, mas há de ser um conteúdo realmente original que valha a pena ser investimento. Senão é mais do mesmo, e ninguém paga por isso.

    Quisera eu ter descoberto um nicho que me rendesse $$. Enquanto isso aplaudo aquelas que realmente conquistaram essa forma de vida e sigo blogando por puro prazer. Vai que algum dia me dão algumas moedas por meus caracteres.

    Beijos

  • Aline Rebelo

    Oi Aninha! 🙂

    Estamos presenciando uma revolução. A cultura da convergência esta ai, e acontecendo muito rápido.
    A Publicidade esta se adaptando ao mundo virtual, e realmente não sabemos o que esta por vir.
    Pode ser que seja um grande risco investir APENAS na "profissão blogueiro" ou não. Realmente não sei…
    Os blogs grandes que acompanho as meninas são super antenadas e bem resolvidas e se sairiam muito bem caso tudo desse uma reviravolta.
    Acredito que quem chega lá, não foi por apenas sorte ou comodismo.
    Só acho que eles poderiam ter outro nome, afinal, eles substituíram (pelo menos pra mim) as revistas! 😜

    Eu mantenho meu blog para me inspirar e inspirar os outros. Muitos blogs (pequenos) me ajudaram a restaurar minha auto-estima e etc…
    E o maior retorno que tenho dele dinheiro nenhum paga! Que é o carinho e admiração de quem AINDA me segue! ^__^

Veja mais comentários:
1 4 5 6 7
ir ao topo