Blogosfera

Profissão blogueiro: Até quando?

Tenho visto muitos posts relatando sobre como a blogosfera está tomando forma no mercado e tornando-se um negócio rentável para blogueiros, virando ícones e referências de moda e comportamento. O blogueiro calouro, de 2 anos para cá vem querendo algo muito mais além do blog: quer deixa-lo rentável. Há até aqueles que largam tudo o que faz só para se dedicar ao blog! Com dedicação, assuntos interessantes (independentemente se são profundos ou superficiais), com um certo dinheiro investido e com um pouquinho de sorte, torna-se uma belíssima fonte de renda. Daí, eu me pergunto: até quando isso irá durar?

Atenção: Este post somente se aplica a blogueiros meros mortais que nem eu, a Re vitrola e de muitas outras blogueiras, haha. Não nasci ryca, muito menos phyna. E vamos e convenhamos, ter a lot of money ajuda muito no crescimento de um blog se você for uma socialite que provavelmente já nasceu no conto de fadas e com certeza morrerá nele (com ou sem blog, haha).

Com toda certeza, não estou desmerecendo o trabalho de nenhum blogueiro mortal que, com muita garra e suor, conseguiu fazer com que sua renda venha de um blog. Na verdade, admiro muito o ato de deixar tudo para se dedicar! Imagino o quanto seria maravilhoso viver disso. Mas não sei até que ponto isso é corajoso o bastante quando se pensa em uma carreira profissional a longo prazo.

Estou na blogosfera realmente através do Madly Luv há 7 anos e já vi muitas mudanças na realidade da blogosfera. Sou dos "primórdios", e vivi de forma muito intensa a época dos blogs em bevel, dos quais a fama não estava nada relacionada à renda. O blogueiro gostava de postar para compartilhar, às vezes desabafar, comentar sobre seus livros, filmes e séries favoritas, falar sobre seu cotidiano e conhecer novas pessoas. Hoje ainda há muitos blogs assim, graças a Deus! Mas a problemática dos novos blogueiros atualmente é na sede de dinheiro e poder que um blog pode trazer.

Não julgo uma pessoa que só cria um blog para ganhar dinheiro com ele, apesar de não concordar. Não gosto da ideia de ter um blog pensando apenas em números. Sinto muito, mas sou das antigas. Entretanto, não vejo nenhum problema em um blog que antes era o hobbie de alguém que depois veio a virar fonte de renda. Ok, isso é lindo. Mas daí volto à pergunta deste título: até quando?

Sabemos que tudo o que gira na internet é algo muito efêmero. Sites, blogs e mídias sociais têm o seu boom e depois esfriam. Alguns morrem e outros ainda continuam. Mas ninguém garante que os que continuam hoje não serão substituídos ou ser colocados em escanteio quando outros chegarem com propostas melhores. Acredite em mim, fiquei um ano estudando sobre a web para meu TCC e te digo: Isso é algo extremamente natural e necessário para o avanço da tecnologia e cultura na web. Tudo tem chances de ir embora na mesma rapidez que chegou e isso é comum.

O que pode ser um sonho lindo e realizado para muitos blogueiros famosos, talvez não passa de um lindo conto de fadas que pode se extinguir daqui a alguns anos. Está sendo arriscado eu dizer isso? Talvez. Serei julgada pela minha opinião? Com certeza. Mas eu sou uma daquelas pessoas que gostam de traçar metas para o futuro pessoal e profissional, e eu, Ana Flávia, tenho uma séria dificuldade em ver a blogosfera daqui a alguns anos com a mesma probabilidade rentável que é atualmente — grifo o "rentável" porque estou falando especificamente em viver do blog e de sua publicidade, sem profissões paralelas ou berços de ouro. Talvez a forma rentável mude ou continuará e pagarei minha língua, mas quem dará esta garantia?

Por isso, eu sempre busco incentivar os blogueiros a procurar crescer em sua profissão de forma independente do blog, mas sem deixar de dedicar a ele enquanto puder. Faça metas, planos, trabalhos, projetos e tudo o que você puder para enriquecer o seu currículo fora do blog, mas também é legal fazer metas e planos para ele também! O seu blog também não deve ser desvalorizado.

Quem me dera viver do Madly Luv a vida inteira, construir uma casa só de sua renda, ter meu carro, minha vida toda resolvida, estabilidade financeira, sustentar minha família somente desta forma. Mas eu preciso ser realista. A cultura na internet está em constante mudança e, a blogosfera, mesmo sendo a ditadora de tendências, é refém desta cultura virtual e da tecnologia. A profissão de blogueiro é linda, mas com certeza não deve ser única e exclusiva na vida de alguém. Devemos lembrar que o sucesso de um blog hoje pode não ser o mesmo amanhã.

E é tão bom trabalhar com outra coisa além do blog… Pode estar ligado ou ser consequência dele, como aconteceu comigo quando descobri minha vocação através do Madly Luv, mas ele especificamente nunca me trouxe renda satisfatória e estável como eu consigo com o meu emprego. Ele muitas vezes é o meu cartão de visita para novos clientes, e eu adoro isso! Mas sei que não posso contar só com ele. O Madly Luv já foi muito mais famoso, mas eu escolhi investir na minha faculdade e em meu currículo. E graças a isso que consegui meu cargo de designer dentro da UFG. E hoje, tenho o blog simplesmente porque ainda amo compartilhar coisas com os meus leitores! Ele me faz feliz nas horas vagas e é uma grande passatempo para mim, independente se ele já teve seus dias de ouro ou não.

Meu caro leitor, a vida fora de um blog também é maravilhosa e merece ser lembrada. Viva-a intensamente e construa sua carreira nela. Depois compartilhe-a com a gente, hehe. 😎

Falando em compartilhar… o que você acha deste assunto?! Concorda ou discorda do que abordei aqui em cima? Estou ansiosa para saber o que você pensa sobre isso. ;D


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Sharon

    Oie.
    A blogosfera de hoje mudou drasticamente da época em que nós postávamos gifs animados e concorríamos a awards com nosso bloguinho zip.net no UOL. Aquele mundo passou e não volta mais, isso é fato.

    Hoje, a cada 10 blogs, um é extremamente comercial, onde a blogueira só posta propagandas e jamais responde um comentário. Outras cinco tentam absurdamente ser essa blogueira citada antes e os restantes mortais são os que postam de verdade, dão sua opinião, comentam, avaliam, vão de blog em blog fazer amizade, cultivam e fazem com que a blogosfera continue nos eixos.

    Essa profissão blogueira que tu diz, na minha opinião são pensamentos de pessoas que fazem os blogueiros de verdade abandonar seus blog. É tanta propaganda, tanta gente querendo manter as aparências de "sou linda e rhyca, me amem" que desmotiva totalmente. Quando entrei na blogosfera, as pessoas ganhavam dinheiro fazendo o tão dito "template de bevel", plaquinha de link-me e essas coisas. Isso acho verdadeiro, ajudar os blogueiros iniciantes, compartilhar opiniões, contar como foi aquela festa com os amigos. Viver e dividir com os amigos internautas. !

    Fiz um post dentro do teu post, desculpa. Bom, não sei se fui entendida como queria, mas essa é a minha opinião. Eu geralmente venho aqui, dou uma olhadinha e vou embora, mas achei que tinha que comentar.
    Bjooos

  • clay

    Se eu for contar a quantidade de blogs que eu ja tive, bom posso dizer que estou há mais de 6 anos na área, mas acho que precisa ter vida fora desse mundinho tbm né.. e concordo plenamente com sua forma de pensar.

  • Brenda Kwon

    Eu quando criei um Blog, achava que ia continuar com isso minha vida toda depois que vi como era legal e bom viver na Blogosfera, mas se passaram 3 anos e eu acabei enjoando de Blog :/ ~~~ vieram outras ideias, outros pensamentos para o futuro, muitas outras possíveis profissões … eu super apoio as Blogueiras, acho muito legal que elas consigam viver disso, mas acho que a profissão de blogueira não é bom ter só ela como meio de sobrevivência, porque acho que é uma profissão meio que passageira .. enfim, essa é a minha opinião!! ^-^

    Eu sou ilustradora, e vim aqui te convidar a dar uma olhada no meu portfolio virtual, para conhecer um pouco do meu trabalho 🙂

    Brenda Kwon | Portfolio

  • Gabi

    Oi Ana, quanto tempo não passo por aqui hehe quando vi que a publicação que tu fez em um grupo no Facebook com esse post eu vim correndo para ler haha
    Tenho a mesma linha de pensamento que a tua: acho incrível o fato de algumas blogueiras terem conseguido largar seus empregos e viverem única e exclusivamente do e para o blog. Acho isso realmente legal, e muitas vezes eu me pego desejando o mesmo, não vou mentir, mas eu também penso: tá, e daqui uns anos? Como vai ficar isso? Porque da mesma maneira que o dinheiro vem, ele vai também. Acho que se algum dia isso acontecesse comigo eu tentaria encaixar algum segundo projeto, mesmo que ligado ao blog também, para o caso de um deles der errado (um exemplo é a Marina do blog 2Beauty, não sei se tu conhece. Ela ficou tri famosa por causa do blog, mas há pouco lançou uma linha de maquiagens e cuidados para a pele).

  • Marcela

    Oi aninha!
    Depois daquela reportagem que eu postei no meu facebook e você comentou, acho que nem preciso falar nada né? Eu fiquei ~chocada~ com os valores. Eu não imaginava que tinha gente que tirava 100mil/mês com blog. No máximo, achava que rolava uns 5~10mil. Mas claro, essas blogueiras são minoria e muitas delas já vieram de berço de ouro, o que torna tudo mais fácil (ter dinheiro pra te segurar caso tudo dê errado, eu também mergulharia de cabeça). Hoje vejo blogueiras pegando as malas e indo morar sozinhas/com namorado em São Paulo, e gente! minha irmã trabalha e mora em SP há três anos e ainda não conseguiu sair do aluguel de uma quitinete, mesmo ganhando relativamente bem. E elas conseguem pagar um apê em SP, que não sai por menos de dois mil e ainda pagar as contas, e viajar, e tudo o mais. O que revolta um pouco a gente é ver como essas meninas estão ganhando tanto dinheiro com coisas como o blog, enquanto tem gente como a minha irmã que pega 3 horas de ônibus e metrô todo dia e rala o mês todo pra ganhar 1/5 do que elas ganham. Aguentam a pressão de um trabalho que tem meta pra cumprir e de cuidar da vida e da casa sozinha enquanto tem gente que ganha dinheiro pelo Youtube porque posta ~vlog de viagem~ e ~comprinhas de viagem~. Sim, eu fico meio doída com isso. Claro que não desmereço o trabalho de ninguém, porque ser blogueira e produzir conteúdo dá trabalho, mas o dinheiro que circula por causa da propaganda é MUITO alto, e as pessoas expõem as suas vidas para ter lucro… e eu me pergunto até que ponto isso está dentro do que eu considero correto e moral. Mas isso é uma questão de criação e educação minha.
    Eu gosto de blogueiras/vlogueiras que produzem conteúdo de verdade, tipo a Jessica do KeepCalm DIY, ou a Bruna do Comprando meu Apê. São pessoas que se dedicam sobre o que fazem, e não aquelas meninas onde vc chega no canal e só tem vlog de viagem, mil tags sobre ela mesma, tudo sobre ela e a vida ~dela~. Enfim, acho boring e desnecessário, só que parece que muita gente adora saber da vida dos outros e é por isso que elas tem tanta audiência.
    Sinto falta da blogosfera sim, mas sei que ainda existem blogs muito bacanas e o meu feedly está lotado de gente que ainda tem um pouquinho daquele sentimento oldschool. <3 Não acho que para um blog ser bom ele tem que necessariamente ser pessoal, como um diário, mas que a pessoa poste sobre as coisas que ela gosta dando a opinião dela, como se estivesse numa roda de amigos. Gosto de sentir como se eu estivesse conversando com ela.
    (meu deus, o comentário já ta gigante.)
    Acho importante se especializar em alguma coisa, e sabe, nem precisa ser graduação, acho que quem não tem afinidade com universidades pode ir para cursos técnicos, ou pelo menos ter um emprego normal que te dê experiência em alguma coisa. Me deu uma aflição quando uma blogueira famosa disse que desistiu das faculdades que ela começou porque "não gostou muito das matérias" e que estava desiludida com tudo, e resolveu continuar com o blog mesmo. Tipo, oi? Gente, a vida não é um algodão cor-de-rosa em que a gente faz sempre só o que a gente gosta. Como você disse no post, as coisas na internet são tão efêmeras, e se arriscar dessa maneira como única fonte de renda é até meio doido. Se um dia o blog parar de fazer sucesso e as parcerias acabarem, sinto muito, mas ninguém vai contratar a fulana porque ela tem blogueira no currículo ou porque foi influente com os adolescentes por um período. O pessoal do RH daria risada. Isso não existe, de um jeito ou de outro você precisa ser especializado em alguma coisa, saber fazer alguma coisa de útil. É assim que as coisas funcionam e não vão mudar por um bom tempo, ao contrário desse boom de blogs e vlogs.
    Sei que pareci muito careta com esse comentário, mas eu sou bem realista e não acho que é muito sensato viver unicamente de um blog ou de um canal do youtube como renda principal. Mas eu entendo o lado de lá, porque parece um sonho viver sem horários, sem chefe chato, sem ter que acordar cedo pra pegar condução. Parece ser um sonho viajar para o exterior e ainda ser paga para isso! Mas não pode ser deslumbrada e achar que isso vai durar para sempre, porque não vai. Eu fico apreensiva por essas meninas, porque daqui a 10 anos, o que vai ser? Espero que a ficha caia e elas corram atrás de algo mais estável antes que seja tarde demais.
    Desculpa pelo coment enooooooorme,mas acho que disse tudo o que eu penso. Um beijo, aninha! :*

    • Carol

      @Marcela, Perfeito seu comentário, sério ?
      Duas coisas que você falou que tenho que comentar:
      1. Penso a mesmíssima coisa sobre um blog ter como conteúdo aquilo que a pessoa gosta, que achou legal por aí, coisas que contaria em rodas de amigos e que podem ~agregar~ alguma coisa na vida de quem tá lendo (uma coisa é você ler uma sugestão de livro, filme legal, ou como combinar certo tipo de roupa, isso acrescenta coisas e opiniões na nossa vida, mas saber que que a blogueira vestiu pra ir almoçar na casa da amiga da tia? pelamor)
      2. Vi isso que você comentou, da blogueira ter desistido da faculdade porque não gostou (nem sei se é a mesma pessoa, mas fiquei abismada quando vi o vídeo). E sério, por mais que você ame sua profissão, seu curso, não tem como gostar de tudo. Tenho matérias que eu queria poder me livrar a todo custo, mas paciência. E lá na frente, as pessoas/empresas não vão querer saber se você tinha um blog de sucesso há 5 anos atrás, e sim se você tem um diploma ou uma experiência profissional.

      Me identifiquei com cada palavra que você falou, e não acho você careta não, acho certíssima!

      Beijos

Veja mais comentários:
1 3 4 5 6 7
ir ao topo