Pessoalidades

O diferente normal

Sabe, às vezes acredito que sou um pouco estranha… Tenho gostos um pouco "diferentes", alguns caretas e românticos demais, limitados demais, outros peculiares. Entretanto, por vezes me pego seguindo algo que eu acredito ser comum demais, normal aos olhos da maioria da população. Percebi que as pessoas desejam tanto ser diferentes umas das outras, que acabam sendo todas iguais e, por fim, isso acabou virando uma moda. E que as pessoas normais são as mais verdadeiras e autênticas.

Notei que as pessoas realmente diferentes, que se destacam, não se importam com o que os outros vão pensar em relação ao seu modo de pensar ou suas atitudes. Seguem seu coração e baseiam-se na educação que receberam em casa. O seu gosto musical pode ser igual aos de muitos, mas a sua maneira de encarar aquilo é diferente dos outros. Seu estilo de se vestir pode ser parecido com a maioria das pessoas, mas ela realmente ama o seu jeito e se sente bem com aquilo, não interessa se está na moda ou não. Seu gosto por Harry Potter ou Crepúsculo é exatamente igual ao de muitos outros, mas ela não começou a gostar porque isso virou febre, ela gosta porque se identifica.

Entendeu o que eu quis dizer? Uma pessoa original não precisa ter uma aparência diferente, se vestir toda punk ou toda patricinha, não precisa gostar de Lady Gaga ou de música clássica ou axé. São os seus modos de agir, pensar e encarar a vida é o que realmente importa. De vista pode ser uma pessoa tão comum, mas quando a realmente conhece a vê que o tanto que ela é diferente das demais.

E para ser sincera, eu me acho estranha porque eu não me considero diferente e nem igual às pessoas. Muitas vezes não me encaixo em meu próprio grupo de amigos, embora muitas vezes seja completamente ao contrário, dependendo do momento. Considero isso algumas vezes sendo ora uma coisa boa, ora ruim. Que sentido tem de eu conseguir ter esta análise das pessoas (eu posso estar errada, vai saber) se eu continuo sendo uma incógnita para mim? Foi ai que eu percebi que não devo me comparar a ninguém.

E quer saber? Quem disse que o ser humano precisa ser realmente entendido? Quem disse que realmente precisamos entender tudo o que se passa em nossa volta? Porém sei que não podemos ser totalmente cegos. Talvez eu esteja sendo normal para uns e diferente para outros, mas quem se importa realmente? Sou o que sou. Faz parte de mim ter estas incertezas, convicções, ilusões e/ou realidades.

Apenas quero viver. Sem medo dos outros.


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

ir ao topo