Pessoalidades

Não nasci para ser "blogueira"

Esse post era para ser um textinho curto de dois parágrafos no facebook mas acabou virando um post no blog, pois notei que eu literalmente não sirvo para ser blogueira. E enfatizo aqui logo de início: falo sobre a "vida de blogueira" comumente divulgada na mídia, com mil e um eventos de moda e beleza, alguns milhares de seguidores, viagens todo ano, feed de instagram minuciosamente organizado, canal de youtube bombando, parcerias à todo vapor, publiposts todo mês. Não dá. Simplesmente não dá. E desculpa ai para quem achou que este título é clickbait (talvez seja). Só preciso dar uma desabafada.

Não nasci para ser blogueira - madlyluv.com

Foto via Picjumbo

Fui chamada para participar da pre-opening da Sephora aqui em Goiânia, ontem (sexta-feira) à tarde, horas antes do lançamento oficial à noite. Sinceramente, não sei como a assessoria conseguiu me achar, e há mais de 2 anos que não tenho um midia-kit atualizado. Enfim, fui logo depois do almoço e me senti uma deusa. Me serviram aguinha, chocolates, um tratamento de maquiagem e até champanhe. Lindo. Mas ao mesmo tempo tive a certeza de que não sou e nem quero ser essa blogueira que vive indo nestes tipos de eventos e trabalhando com isso, inclusive sendo paga por isso — ter a tal "vida de blogueira" que muitos dizem e sonham.

Ao mesmo tempo em que eu era uma deusa, eu também me sentia a estranha da fila do pão

Percebi que não tenho paciência alguma com o vuco-vuco de selfies, hashtag beauty, stories (que inclusive esqueci de fazer) e fotinhas com famosos, me esforçar para mostrar alguma coisa. E tatu do bem com quem faça. Só percebi que eu realmente não sou desse tipo — mesmo. Eu juro que tentei e já senti esse gostinho, e é fantástico. Mas sinto que essa onda não é para mim. E para falar a verdade… nem de publipost tenho mais gostado aqui no blog, não importa mais o assunto que me procuram para publicar aqui (mas isso já é um gatilho para outro post, segura a onda ai).

Sou dessas que quando viaja para algum lugar especial, realiza algum sonho, gosta de algum artista, de um livro ou até mesmo de um simples produtinho (ou desgostar também, porque faz parte) gosta de compartilhar, nem que leve cerca de uma semana para produzir o conteúdo para um único post, porque sente a necessidade de querer dar dicas, falar de sua própria experiência, trocar ideias com as pessoas leitoras, expressar. É isso que me dá prazer, e confesso que até me perde a graça em fazer isso para fins comerciais. O dinheiro dos banners de anúncios e meu trabalho como designer já bastam para arcar com as despesas do blog.

Para essa vida agitada de evento de blogueira percebi que sou do tipo que simplesmente gosta de ficar "de boa" ali, sozinha no meu canto curtindo meu chocolatinho, lendo rótulos, apreciando projetos lindos de identidade visual, descobrindo propostas das marcas, vendo as verdadeiras blogueiras do segmento trabalhando enquanto estou com um arco-íris nas costas da mão de tanto testa-testa de produto e fazendo minhas contas mentalmente para ver se dá para pagar algo ali, rs.

Falando sobre a loja…

E enquanto isso, compartilho aqui no blog sobre coisas aleatórias das quais sou loucamente apaixonada, fazendo story quando quero, continuando a postar no insta de vez em quando, sem me intitular como uma "digital influencer", pois eis um termo que estou muito longe de ser e nem almejo. Sei que falho muito às vezes em manter o Madly Luv atualizado, mas nunca é por mal e sempre tem um motivo, ta? Talvez pelo trabalho intenso, da correria do cotidiano, ou talvez pela minha opção em não querer postar. Há coisas das quais gostamos de guardar pra si, ter um tempo só nosso. Acontece. Uma vida não precisa ser totalmente documentada. Mas estou aqui… há 10 anos neste mesmo bloguinho, né?

Quem sabe mais 10, não é mesmo? 😍


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Mariane Audry

    Olá, tudo bom? Cai de paraquedas aqui.
    Só quero te dizer que vi um vídeo mais ou menos sobre isso, tudo orna é o nome do canal que eu vi o vídeo. E fala um pouco sobre isso, sobre o nome influencer digital e significado disso tudo e da palavra.

  • Juliana Machado

    Caramba! Que desabafo! Ao passo que vou investindo em meu blog/canal penso realmente se terei essa pré-disposição que vemos as bloggers famosas mostrando em suas redes sociais. As vezes fico me perguntando se quero, se vai dar certo e se der se terei essa proatividade! Me identifiquei super com seu desabafo!

  • Tamires de Carvalho

    No meu segmento, que é literatura, vejo muito isso das 'celebridades', blogueiras de carreira, e não tenho ficado satisfeita com o conteúdo que elas têm produzido. Tudo tem ficado muito comercial, infelizmente. Sinto que não se fala mais sobre livros e literatura, apenas faz-se book houl e mostra-se os mesmos lançamentos das mesmas editoras. Respeito quem trabalhou duro para poder 'viver de blog', mas essa vida também não é para mim.

  • Mayara

    Me identifico muito, comecei um blog em 2012, mas sei que isso não é o que eu quero e nem consigo fingir, amo fazer layout, programar o blog, porém eu não sirvo para ser a "blogueirinha". E amo o seu blog, o layout, o seu amor pelo que faz e a inspiração que me traz <3 Sucesso chuchu!

  • Gabi Orlandin

    Oi, Aninha!
    Tive que vir aqui comentar no seu post, pois me identifiquei muito! Houve um tempo em que eu queria esse negócio todo de publiposts, lançamentos, fotos incríveis no insta e tudo isso que você fala. Mas o tempo vai passando, as obrigações e a vida pessoal vão mudando (e a gente vai alterando as prioridades!) e percebemos que nem tudo são flores como a gente imaginava. Hoje em dia, também estou com o blog paradinho, pois cheguei em uma etapa que eu não sei o que quero dele. Quando algo não nos faz feliz, temos que mudar o rumo né? Então, me identifico muito com essa identidade de: vou postar o que quiser, quando quiser, sobre o que quiser, afinal o blog é meu, hahaha! Enquanto isso, tenho percebido que tenho mais tempo pra MIM, pra minha FAMÍLIA e pras pessoas que eu amo (que eu estava deixando de lado antes, em prol de atualizar o blog). Que bom a gente vai mudando… 🙂
    Beijão!

    • Talita Korb

      Bem isso Gabi! Mesma coisa pra mim. E além do mais, a gente acaba vivendo uma vida mais real, não tanto pra "web" sabe? Imagina que saco você estar num dia porre e ter que ir num evento socializar com as pessoas, sorrir, tirar foto com um monte de gente que não conhecemos? E se não formos tão simpáticas, ainda falam mal.. enfim, ter vida offline e curtir o que temos perto da gente não tem preço =)

Veja mais comentários:
1 2 3 4 6
ir ao topo