Pessoalidades

Iceberg

Às vezes penso em como é difícil lidar com as pessoas. É incrível como pode se viver tanto tempo com uma pessoa e simplesmente não saber qual é uma das coisas que ela mais gosta, ou odeia, assim como há pessoas com quem você convive apenas uma semana e já sabe até qual é o seu maior defeito e qualidade. Mas conhecer de verdade é tão difícil… As pessoas sempre nos surpreendem.

Não acredito mais na teoria que as pessoas falam para você "ser você mesmo". Pare para pensar e reflita: seja você mesmo, mas vai ter que aturar alguém olhando para você com os olhos esbugalhados, supreendido pelo o que você acabou de fazer. Sinto como se às vezes é melhor cada um viver no seu mundinho para deixar de ser julgado, mas é óbvio que temos que encarar o mundo lá fora.

Menina meiga, nerd e carinha de anjo pode sim falar puta que pariu com todas as letras e adorar filmes de besteirol americano — mas na frente dos outros é apenas a bonitinha intocável. Rapaz metido, galinha e babaca pode escrever poesias, ler Dom Casmurro e usar mais de 5% do seu cérebro — mas na frente dos outros é apenas um cara idiota que não vale a pena acreditar em uma única palavra do que diz.

Pessoas realmente interessantes se refugiam dentro de seu âmago e só exprimem aquilo o que as pessoas quer que façam. Ser "você mesmo" está tão na moda que sua verdadeira personalidade, aquela quem você é quando está sozinho no quarto com sua bagunça, fica por lá depois que você passa da porta e nem ao menos percebe — e ainda sim diz que é você mesmo, porque está na moda.

Da nossa mais pura essência, com sorte, somente uma ou outra pessoa conseguirá descobrir. Sempre nos contentamos apenas com a ponta do iceberg, esquecendo de mergulhar fundo com medo de quebrar o gelo.


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Gabi

    Lindo! Concordo com absolutamente tudo!
    Eu sou uma pessoa que julga muito o que os outros fazem e gostam, mas sei também que estou longe de ser perfeita – e ninguém é! Enfim…cabe a nós saber o que nos faz feliz e FAZER isso, porque se formos viver fazendo só o que é bem visto pela sociedade NUNCA faremos nada!
    Beijos amiga!
    ;*

  • Talita Korb

    Guria eu tava pensando em fazer um post QUASE sobre isso esses tempos… mas ser vc mesma é algo difícil, vamos concordar. Hoje em dia a mídia e as pessoas querem que você seja de um certo jeito, tenha um certo conceito sobre determinada situação, vista certas roupas. E vc acaba seguindo esse tipo de coisa porque ninguém quer ser definido como estranhou ou exatamente diferente. O sistema, a mídia estão colocando na cabeça de todo mundo coisas que hoje é pra ser normal, e até anos atrás não era. E as pessoas estão colocando como verdade isso em suas próprias mentes, deixando de ter uma opinião pensada.

    Mas posso dizer que eu realmente procuro ser uma pessoa diferente. Há quem diga que sou muito do-contra hehehe. Mas não gosto de ser igualada, não gosto de fazer o que todos fazem.

    Por exemplo, quando digo que não vejo graça em ir em balada e coisas do tipo, todo mundo me olha como se fosse um ser de outro planeta. Mas não é por isso que vou ir numa… acho que vc entende onde quero chegar aushusauhsa

    Desculpa o comentário gigante. é que como esse assunto tava engasgado, acabei soltando aqui ushausauhsa

    Beijo :*

  • Camila Andrade

    Nossa, Ana Flávia, seu texto me emocionou sabia. Me identifiquei demais. No mundo em que vivemos é cada vez mais difícil sermos nós mesmos quando vivemos numa sociedade que decide como agimos ou o que fazemos. Adorei o seu blog. Beijos

  • Sara

    Lindo, lindo, lindo!
    Nunca conseguimos "ser nós mesmos" no sentido poético da expressão, até porque ser aquilo que as outras pessoas esperam de nós é, de certa forma, ser nós mesmos, pois se agimos daquela forma é porque o nosso eu se preocupa com o que os outros pensarão.
    Mas como você disse, existem algumas peculiaridades, referentes à nossa essência, que pouquíssimas pessoas conseguirão conhecer, e são para essas poucas pessoas que nós faremos toda a diferença.

  • @LiaraBastos

    Flávia, falou tudo… é muito difícil nós mesmo nos entedermos, imagine entender o outro. O segredo é não nos privarmos do que realmente gostamos de fazer e falar. Como Augusto Cury diz: "Seja protagonista do seu espetáculo."

    E sim, acredito que esses idiotas que nos rodeiam tenha um lado bom que eles mesmos se privam, e também já cansei de ver meninas que são dotadas como o "exemplo" e que na frente daqueles que sempre os elogiam sempre é um doce, deu as costas é uma "vaganhara"… é a vida!

Veja mais comentários:
1 2 3 4
ir ao topo