Coisas de designer

F.A.Q. sobre o curso de Design Gráfico

Já fazia algum tempo que eu gostaria de fazer uma tag que fala um pouco sobre o que aprendi em minha graduação em Design e pela minha experiência. Recebo muitas perguntas de pré-vestibulandos sobre o curso e espero esclarecer algumas dúvidas para quem está começando agora, e também para quem ama este universo do Design. 😊

Antes de mais nada, é preciso reconhecê-lo como uma profissão que merece respeito como qualquer outra. Não é uma profissão fácil e vai muito além da boniteza que vemos. Há vários cursos espalhados no Brasil e cada um tem suas peculiaridades, formas de ensino e metodologias. O que estou falando aqui se diz respeito às minhas experiências como uma profissional formada pela Faculdade de Artes Visuais da UFG. Há outra dezenas de Universidades por ai diferentes da minha e muito boas! Por isso, é sempre recomendado que leia a ementa de todas as disciplinas do curso que você pretende cursar, e pesquisar sobre a área em sites e blogs, além de livros. :) Agora, vamos à lista?

1) O que é Design Gráfico?

Design, programação visual ou desenho industrial (todos são quase sinônimos, salvo pequenos detalhes) é a profissão que tem como objetivo de solucionar um problema ou melhorar uma comunicação utilizando letras, formas e cores. É facilitar a vida do usuário e de sua experiência. É projetar algo não só apenas bonito e atrativo, mas também funcional e adequado para o seu público alvo.

2) O que se aprende no curso? Quais são as áreas de atuação?

O Design Gráfico não é só fazer layouts e bonitezas no photoshop, apesar de muitos imaginarem isso por só ver o resultado final. Mas para chegar nesta boniteza que vemos requer muito estudo. Envolve criatividade, senso estético, metodologias. Estudamos de tudo um pouco. Tem a área de Web Design, Identidade Visual (que é projeto de marcas, aplicações e tudo mais), Produção Gráfica e Editorial (que é a área impressa que lida desde cartazes a livros), Fotografia, Ilustração, Design de Embalagem e de Produto, Sinalização (as placas que você vê na rua, hospitais, restaurantes… everywhere!), tipografia… e arte! Vemos bastante teoria e história da arte no início do curso. Alguns acham bobeira, mas é fundamental para o nosso repertório. Quanto mais referências um designer tem, mais criativo ele tende a ser. Mas, além disso, também estudamos muitas coisas técnicas e projetuais ao longo do curso.

3) Tem que saber desenhar "bem" para fazer o curso?

Não. O saber desenhar é muito relativo quando você entra numa faculdade que é da área das artes ou do design. Há ótimos profissionais da área que não tem costume algum de desenhar ou simplesmente sua área de atuação não exige muito disso, como o caso do webdesign. Tive aula de desenho no curso, mas foi mais para exercitar a criatividade do que a prática. Tudo depende da sua capacidade de ilustrar o contexto, e desenhar "bonito" não é uma obrigação ou uma solução.

Algumas faculdades requer um certo conhecimento básico de desenho na hora do vestibular, mas não é nada muito complexo. Se você não sabe nem desenhar bonecos de palito e sabe que há teste de abtidão para o curso de DG que você quer, sugiro um curso básico de desenho (aquele de poucas semanas), só para você ter a noção básica da coisa.

4) Adoro o webdesign! Mas eu aprendo HTML/CSS no curso?

Não. No curso não vemos nenhum tipo de linguagem específica na disciplina de webdesign, apenas o básico e tudo em poucos dias. A disciplina nos ensina a projetar, e não programar. Uma coisa é completamente diferente da outra. Aprendemos a entender o perfil de usuário, acessibilidade, hierarquia e arquitetura de informação (organização do site), interface, experiência de usuário para uma navegação adequada e muito mais! Apesar de ser um diferencial no currículo souber programação front-end (HTML/CSS/Javascript) e back-end (que são linguagens de programação, como o PHP que usamos no WordPress), o designer não tem obrigação alguma de saber programar o seu projeto final, ou seja, o layout. Se você quer aprender a programar, faca um curso de web, estude em casa, pratique.

5) Não sei nada de photoshop ou dos outros programas usados. E agora? Ainda sim posso fazer o curso? Eu tenho aulas para aprender a mexer nestes programas?

Da mesma forma como não aprendemos HTML/CSS na disciplina de webdesign, não aprendemos também a mexer nos programas. Isso precisa partir do aluno. Professor nenhum de faculdade tem obrigação de ensinar o bê-a-bá de um programinha. 😤 Ele tem muito conteúdo para dar e muitas referências e projetos para passar e orientar. É por isso que há vários cursos de Photoshop e Illustrator por ai (SENAC é um deles), mas você só vai realmente aprender se praticar por conta própria.

Nenhum profissional que um dia cursou a faculdade de sua profissão entrou sabendo de tudo. Um engenheiro não sabia engenharia antes do curso de engenharia. Um advogado antes de cursar direito, muito menos. Se fosse assim, para que serviria um curso, né? Assim também é no design, embora nesta área há muitos que já sabem e já atuavam profissionalmente antes. Isto não é uma obrigação. Quando entrei na faculdade, vi várias pessoas entrando ali não sabendo abrir um programa sequer. Mas uma coisa era certeza: entraram amando o design. E hoje, como formada, vi estas mesmas pessoas fazendo trabalhos incríveis. Quando realmente ama uma área e quer aprender, o céu é o limite. 😊


Bem, por enquanto é isso! Sei que não irei responder todas as dúvidas em apenas 5 questões, hehe. Estas são apenas as mais comuns que recebo. Pretendo realizar outros posts assim com a tag #DGFAQ para reunir outras dúvidas comuns sobre o Design. Você pode perguntar aqui pelos comentários ou entrar em contato comigo por e-mail. E não se esqueça que há também dicas de livros de design naquele post que eu fiz a alguns tempo atrás, lembra?

Então, qual é a sua dúvida? Vem que a tia responde, hehe. 😎


Comentários

╳ Cancelar
Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

ir ao topo