Tecnologia

E-reader ou tablet? Qual vale a pena investir?

Há poucos meses atrás comprei um Kindle para ler meus e-books. Como eu já lia livros no iPad, estava muito na dúvida se valia realmente a pena comprar um, até que surgiu a Bienal de SP ano passado e aproveitei a oportunidade que estava mais barato e pedi para uma amiga que estava indo para lá para trazer para mim. Depois de usufruir bastante do Kindle, agora eu quero escrever o primeiro post de 2015 com uma opinião mais estruturada sobre a diferença entre os dois, bem como qual vale a pena investir. Vamos lá?

E-reader ou Tablet? | Madlyluv.com

Kindle Paperwhite e iPad 2

O Kindle é um leitor (e-reader) de e-books criado pela Lab126, uma empresa subsidiária da Amazon, que está no mercado desde 2007 e perdeu um pouquinho de seu brilho quando o iPad chegou em 2010. Os e-readers como o Kindle possui uma tela com cores em escalas de cinza e preto e possui funções básicas de interação — algumas das vezes não sendo nem touch, apenas em botões — e os mais atuais possuindo acesso à internet, só que ainda na tela monocromática. Por outro lado, também sabemos que as tablets são dispositivos maravilhosos. O iPad e tablets de outras marcas, como as da Samsung por exemplo, possui infinitas possibilidades de aplicativos para fazer N funções, tarefas, jogos e dentre outras coisas tanto para auxiliar nossos trabalho ou para lazer e entretenimento.

Entretanto, quando se trata de leitura densa como acontece com livros, eu afirmo com certeza que um e-reader como o Kindle é mil vezes melhor.

Por que e-readers são melhores para ler do que as tablets convencionais?

Os e-readers possuem na tela uma tecnologia chamada papel eletrônico (electronic paper ou e-paper), também conhecida como tinta virtual (electronic ink ou e-ink). A tela é chamada de EPD (Electronic Paper Display), que busca imitar o papel convencional dos livros, que futuramente poderá fornecer outras alternativas de tecnologia para interfaces eletrônicas. Juntamente com esta tecnologia, os e-readers buscam trazer melhor conforto para a leitura densa — ao contrário das tablets convencionais, que possuem outros objetivos além da leitura.

A prioridade principal do e-reader é ler, e ler muito. Um e-reader possui um tempo de duração de bateria espetacular (podendo durar mais de um mês) devido ao e-ink utilizar poucos recursos de bateria, bem com a iluminação de leds nas laterais (vem na maioria e-readers), que também impedem a iluminação direta nos olhos como acontece nas tablets convencionais. Não cansa a vista, não atrapalha o leitor com notificações de facebook e dentre outras mídias sociais e e-mails, incentivando assim a ler por mais tempo independente da iluminação externa.

O custo do Kindle

Os e-readers são mais baratos do que o iPad e as tablets mais populares. Eu paguei o meu Kindle Paperwhite em promoção por R$375 (R$100 mais barato que o normal) e achei que foi baratíssimo pelo tanto que uso ele. Levo para tudo quanto é lado sem medo, ao contrario do que seria para o iPad — imagina ler no iPad no ônibus? É roubo na certa. Os outros e-readers com iluminação também giram em torno deste preço e não passam de R$500 e pouco (exceto os 3G), enquanto as melhores tablets do mercado são acima de R$700 e o iPad da última geração é mais caro ainda.

E-reader ou Tablet? | Madlyluv.com

A problemática do preço dos e-books

Eu baixo meus livros de graça através do Minha Teca e Le Livros. Sei que não é correto devido à pirataria, mas a maioria dos livros que leio não possuem uns preços tão justos assim. Gente, pelamordeDeus… Um e-book formato .epub, .mobi, .txt, ou qualquer outra extensão que um livro possui em apenas seu conteúdo em texto (e não com recursos de interação, design de interface e identidade visual como acontece em revistas e ebooks para iPad), custam muito pouco porque a criação é muito simples — digo isso porque em meu trabalho presencio a criação de e-books para educação à distância e sei que não é nada muito complexo.

O que acontece é que a realidade dos valores dos direitos autorais e de distribuição dos e-books variam de editora para editora e muitas colocam o preço lá em cima, e isso também inclui o preço da loja virtual que está oferecendo o produto. O custo não está errado, o autor tem direitos assim como a editora e a loja precisa de seu lucro, mas não é justo um e-book ser tão caro quanto um livro físico. Posso estar falando besteira, mas um e-book para mim não pode passar de R$15, e já vi ebooks custando mais de R$25. Acredito que, se todos os e-books possuíssem um baixo custo, o índice de compra subiria. A distribuição é rápida, ágil e prática. Não há motivo para ser cara se é em larga escala, não é verdade? Um livro físico precisa de uma produção muito maior e de mais recursos materiais para a produção quando se compara à de um livro digital, além do custo de produção ser mais alto e o processo é bem mais lento. Então a maneira que encontrei para pagar ao autor e à editora é: ler o e-book grátis e, caso eu goste (o que acontece na maioria das vezes), compro o livro físico.

Uma curiosidade…

Lembra que eu falei que futuramente o e-ink poderia ser utilizado para interfaces digitais? Enquanto eu estava pesquisando artigos para fazer este post, eu descobri que, no final do ano passado surgiu uma notícia de um smartphone Android, chamado Yotaphone, que possui duas telas: uma de LCD normal de um celular e outra de EPD igual dos e-readers que conhecemos (e pelo o que entendi ambas são protegidas com o Gorilla Glass, um protetor de tela super resistente). E até achei um vídeo falando sobre este celular, que vale a pena dar uma conferida. Posso falar uma coisa? Achei FANTÁSTICO! Acho que o e-ink tem muito ao que oferecer, bem como tem muito ao que se aperfeiçoar. E a ideia desta mistura entre smartphone/tablet com a tela de e-reader pode vir com tudo!

Conclusão

Vale lembrar que não estou desmerecendo de forma alguma o iPad e entre outras tablets. Apesar do processador ser bem melhor do que os e-readers, elas possuem outros objetivos. Objetivos que vão além da leitura. Dá para ler nas tablets, sim, só que a leitura densa pode ser cansativa. A tela EPD dos e-readers são vistas perfeitamente à luz do dia, enquanto das tablets convencionais se colocar a tela LCD ou LED à luz direta solar não dá para se ler praticamente nada. No Kindle consigo ler no ônibus indo para o meu trabalho, deitada na rede do jardim de casa sem se preocupar com iluminação, bem como ler no meu quatro com as luzes apagadas para esperar o sono vir — a luz LED do e-reader vem das laterais, iluminando a tinta virtual e não o usuário, como acontece tela LCD de um iPad. Por outro lado, no Kindle não posso jogar, navegar em meus blogs preferidos ou ver minhas séries no Netflix da mesma forma como no meu iPad.

Eu sou tão apaixonada pelo meu kindle quanto pelo meu iPad! Não deixei de usar um quanto adquiri o outro. E acredito que são dois investimentos que valem a pena. E você? Possui uma tablet ou um e-reader? Qual você acha que é melhor para a leitura? Você gosta de livros digitais? ;D


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Lucas Maia

    Oi Aninha,
    Eu comprei o meu Kindle recente, chega essa semana agora, depois das nossas conversas e de ver muitas pessoas falando e até comparando-o com outros e-readers existentes no mercado. Não vejo a hora de começar a ler e descobrir a maravilha toda dele.

    Uma coisa boa para acrescentar ao seu post, é que durante a minha pesquisa para saber qual comprar, li que os e-readers direcionam a luz para dentro, justamente para iluminar a tinta digital (e-ink) e não provocar ofuscamento ou desconforto visual como os tablets e iPads que direcionando a luz de dentro para fora. E outra coisa, quem ler mangás e HQs, os tablets e iPads são a melhor opção. Bom, para alguns, a cor é um dos pontos atrativos e que se relacionam com a história. Os e-readers não possuem cores, ainda. E tem gente que ler e-books nos e-readers e HQs e Mangás nos tablets e iPads.

    Beijão!
    p.s.:vou responder a sua pergunta do outro post logo, estou testando umas coisas com a minha lente pra te falar o que penso. 😉

    • Aninha

      @Lucas Maia, sim, coloquei isso no post já naquele dia que postei, haha. Obrigada pela dica Luquinhas!
      Nunca li mangá pelo e-book, só pelo ipad mesmo porque os que já li eram coloridos, haha.
      Abração!

  • Stephanie Ferreira

    Eu até tinha um tablet, que usei sei lá por uma semana porque só usava pra ler e ler no tablet arde os olhos HAHAHA mas a verdade é que eu amo o meu kindle, comprei numa promoção da black friday e temos uma relação de amor infinito <3 Carrego ele pra todos os lados, a iluminação é tão linda para ler que já virei a noite lendo o que não podia fazer com a luz ardente no tablet ou com um livro físico.
    Adorei o post! Um beijo

    • Aninha

      @Stephanie, também tenho uma relação de amor infinito com o meu Kindle, haha. Super recomendo a todos não só um kindle, mas qualquer e-reader só por causa dessa iluminação linda <3
      Beijocas!

  • Francyane Freitas

    Dá pra ler pdf no kindle também? Eu adoraria ter um pra ler os livros, mas também seria útil se pudesse utilizá-los para os textos da universidade. 😀

    Beijos
    http://correioeletronico.wordpress.com/

    • Aninha

      @Francyane Freitas, é isso mesmo que a @Divana falou! Já ouvi dizer que o Lev é melhor para PDFs também. Confesso que nunca coloquei um PDF no meu Kindle porque sempre encontrei o que eu queria em .epub ou .mobi. ;D

    • Divana

      @Francyane Freitas,
      Precisa converter o pdf para .mobi, que é a principal extensão dos arquivos. Algumas conversões não ficam muito boas, principalmente por causa de imagens. Sei porque tentei converter uma apostila pra ele e as fórmulas matemáticas vieram como ícones. Pra pdf, o melhor que tem no mercado e que eu sei que a leitura é boa nele é o Lev, da Saraiva.

    • Jéssica

      @Francyane Freitas, Ja coloquei pdf no kindle, e achei bem ruim pra ler, mas pra converter pra mobi é bem simples então sem problemas. Mas estou falando de livros sem ilustração nem formula.

  • Tati

    Amei seu post, estava precisando de uma opinião assim.
    Tenho uma tablet e realmente parece ser bem mais agradável ler num e-reader.
    Estou pensando em um Lev, da Saraiva, pela boa compatibilidade com pdfs. 🙂

    • Aninha

      @Tati, sim! O Lev é ótimo para PDFs! Só ouço coisas boas dele 😉

  • Sybylla

    Eu amo meu Kindle, não vivo mais sem, eu e ele temos um relacionamento seríssimo. rs Eu indico para todo mundo que lê muito, pois o tablet pode ser incômodo para leitura. Eu pelo menos canso rápido a vista quando estou no notebook ou num tablet, já com o Kindle, isso não acontece.
    O meu é o modelo mais básico da Amazon, com botões nas laterais e não me importo. Com uma mão a gente pode ler com conforto e a bateria é uma bênção, pois dura uma eternidade. Meu Kindle nunca deu problema, nunca mesmo, eu o liguei e ele funciona bem há dois anos.
    Um bom site para se baixar livros é o leiturafacil.com. Lá é em epub, mas eu converto online mesmo e coloco no Kindle via email. Outra funcionalidade maravilhosa deste equipamento sensacional.

    Ótimo post! 😀

    • Aninha

      @Sybylla, você tem razão. Eu lia muito pela tablet antes do Kindle e fico me perguntando: por que não o comprei antes? kkkk
      Anotei a dica do site! Obrigada *-*
      Beijocas!

Veja mais comentários:
1 2 3 11
ir ao topo