Madly Luv - O mLuv é um blog pessoal no qual aborda vários assuntos como design, músicas, literatura, arte, televisão etc. Desenvolvido e mantido por Ana Flávia Cador.

Dando uma de adolescente rebelde

Pessoalidades

Eu precisava de um tempo para mim. Quarta-feira aconteceram algumas coisas no decorrer da aula que não me fizeram bem e acordei na manhã seguinte acabada. Parecia que um trator passou por cima de mim e repetiu a dose. Parecia que eu tinha tomado todas e acordei de ressaca. Noite mal dormida, incluindo pesadelos, é assim mesmo… Não preciso dizer o motivo que levou a me sentir assim, não vejo razão para expor, só basta dizer que o que aconteceu foi o suficiente para me deixar desolada, mesmo sabendo que era pura idiotice minha.

Subi no ônibus lotado. Atravessei aquele mar de braços para chegar ao fundo e recostei na porta. Até que consegui um lugar vago e peguei meu idoso mp3 e coloquei em numa música bem alta. Maravilha… era Iris, de Goo Goo Dolls! Só para deixar meu dia mais feliz :@ … só sorrindo para não chorar mesmo. Enquanto eu ouvia a música (sim, eu quis terminar de ouvi-la porque fiquei com preguiça de abrir a bolsa, tirar o mp3 e trocar de música) eu repetia para eu mesma que não ia conseguir enfrentar aquelas 120 pessoas. E, mesmo eu sabendo que nem a metade conhece a minha cara, me senti com vergonha que entrar lá.

Virou a esquina e sinalizei para sair. Foi um ponto antes do que normalmente deço. Em vez de seguir em frente eu virei à direita e entrei no shopping. Meu coração estava disparado. Subi para o andar de cima e andei em direção ao cinema. Comprei meu ingresso para o filme que tinha naquele horário e entrei na sala.

A sala do cinema estava completamente vazia. Sorri para mim mesma e sentei na última fileira, logo abaixo do buraco onde saía a luz do progetor do filme. Tirei os tênis e apoiei os pés na cadeira da frente e olhei pra cima, pensando… Tantas coisas passaram-se na minha cabeça, boas e ruins. O que eu estava fazendo me fazia sentir corajosa. Eu já podia enfrentar todo mundo que eu tive medo, porque eu soube naquele momento que eu estava acabando com um outro medo que eu tinha: de ficar sozinha em um lugar fechado onde ninguém sabia onde eu estava (tipo uma claustrofobia, mas não chega a tanto assim). Todo mundo precisa de um momento assim, certo? Eu queria que, pelo menos uma vez na vida, fazer algo sem pedir permissão e dar satisfação para ninguém…

Fui educada de uma maneira super-protetora. Filha única é assim mesmo, não é? Minha mãe dá crises quando eu esqueço de ligar para informá-la se eu cheguei ou saí do cursinho ou atravessei a avenida para ir à padaria. Eu entendo o seu lado, é muito amor. Só que às vezes eu me sinto fiscalizada 24hrs por dia! Eu precisava de fazer algo para amenizar isso, pelo menos por alguns instantes.

Quando acabou o filme eu fui para o colégio. Coloquei o uniforme e entrei na hora do intervalo. Eu pensava que ia me sentir péssima ao entrar lá, mas aconteceu muito pelo contrário. Como eu disse: eu me sentia corajosa. Ninguém entendeu o real motivo de eu fazer o que eu tinha feito… a não ser um amigo (que nem esperou eu contar e já estava vindo conversar comigo sobre isso, entendendo tudo) e uma amiga (que para ela eu tive contar).

Eu jurava que ia receber uma bronca daquelas, mas quando eu contei para os meus pais e expliquei tudo o que eu disse aqui, só faltou minha mãe dar pulinhos. Ok, desta vez eu realmente fiquei assustada! Ela comemorou minha primeira "fugida" (como diz minha amiga) do mesmo jeito que se comemora a menarca! O_O Ela foi contar para a tia, para a vó, para o primo… virou a festa! :@ Ei!, cadê a parte a parte da cara fechada?, do castigo?, da gritaria? Eu queria uma bronca para falar a verdade, mas não nego que fiquei um pouco aliviada. Depois da (ridícula) comemoração conclui que só dei uma de "garotinha certinha querendo ser a adolescente rebelde". -_-

Veja também...

A boa filha a casa torna
Uma faxina na casa: 10 anos de Madly Luv
Não nasci para ser "blogueira"
¬¬ zZz x_x o_O ^^ T_T ;D :x :S :P ::teary:: ::sweat:: ::stress:: ::rolleyes:: ::love:: ::cool:: ::blush:: ::attention:: ::angry:: :) :( ._. *o* *O_O
* Ao comentar, você alega estar de acordo com a política do blog.


  • Lo
    18 . 05 . 2009

    É, Ana, chega uma hora que a gente quer experimentar coisas novas, arriscar, sentir na pele. Ainda que isso nos leve a fazer algo "fora do padrão", fica o gostinho de não ter perdido a primeira oportunidade. ;*

    Responder

  • Madaaah
    17 . 05 . 2009

    Aninhaa, ninguém dá uma de adolescente rebelde… você não é uma e não estava tentando ser… Oque acontece é que chega uma hora que agente não aguenta mais tanta coisa nas costas, e precisa dar uma relaxada, sozinhos. Uma vez eu cabulei aula pra ficar na praçinha tomando sol da manhã, ouvindo música e pensando na vida… Eu também contei pro meu pai quando fiz isso, e ele entendeu na boa. Não comemorou, porque eu nunca fui certinha, mas aceitou tanquilo. Oque eu to querendo dizer, é que todo mundo ás vezes precisa se sentir livre. E você fez isso e ainda enfrentou um medo. Dois coelhos com uma cajadada só.

    Beeijos Aninhaa =*

    Responder

  • Nadjah
    Visitar blog
    17 . 05 . 2009

    Ah, isso é normal em algum momento da nossa vida! Eu também sou assim, filha única e sempre certinha. Mas às vezes dou uma escapadinha, mas no meu caso eu poderia contar e minha mãe não ligaria muito, rs. Eu assisti esse filme no dia do meu aniversário, eu adorei! Tb pensei a mesma coisa que você, mas depois vi que non era nada disso.
    Blog tá lindo!
    Beijos;*

    Responder

  • Luh
    17 . 05 . 2009

    Anna, as vezes é tão gostoso fazer isso! Até hoje as vezes dou uma fujidinha básica, mas agora não dos pais e sim do marido. x)

    Beijocas e boa semana!

    Responder

  • Amanda
    17 . 05 . 2009

    Hi Dear,
    Nossa,toda vez que eu passo aqui o M-L tá cada vez mais lindo,parabéns!
    Beijos ;*

    Responder