Pessoalidades

Crônica da vida

Sou apaixonada por crônicas. Textos objetivos, curtos e grossos, não são longos e possuem início meio e fim. Qualquer pessoa pode ser crônista, penso, desde que saiba articular bem as palavras e que seja breve passando o máximo possível em poucas palavras. Para ser sincera, todos os blogueiros autênticos que conheço tem chances de ser ótimos cronistas. Não duvido nada que um bom cronista/colunista de uma revista famosa foi um blogueiro comum um dia ou que, no mínimo, tinha um caderno com algumas dezenas de folhas rabiscadas.

Hoje percebo que é fácil e era eu quem fazia tudo ficar mais difícil. Nas aulas de português no colégio eu olhava para a cara da professora e perguntava "que diabos é uma crônica, caramba?" e ela me respondia justamente o que acabei de falar ali em cima e eu não entendia como alguém conseguia falar tão bem em tão pouco espaço. Era quando ela pedia uma redação na modalidade da crônica e ninguém se dava bem. Já aconteceu isso com você no colégio? De uma professora pedir para fazer uma redação de uma modalidade tal e você ficar só olhando para o papel com cara de anta? É, aconteceu muito comigo.

Foto via Dilvugação

Os assuntos eram chatos (na época), isso quando não era algo sobre "escreva sobre suas férias de escola". Ai que clichê 😒 mas por que era tão difícil? Meu Deus, aquilo para mim era o fim do mundo. Queria me jogar pela janela e entrar em óbito o mais rápido possível antes que a professora olhasse para o relógio e começasse a olhar feio pra todo mundo pedindo para andar mais rápido. O começo é terrível. Nada era bom. Minhas notas giravam em torno de 20 e 25 nas redações (que sempre valiam 40, como no vestibular daqui). Tudo era forçado. Eu não funcionava sob pressão enquanto tinha o olhar para a professora chata na minha nuca ou testa. 😤

Meu blog nasceu, eu precisava postar, eu tinha de escrever. Com o tempo eu não olhava mais para a cara-de-maracujá-de-gaveta com raiva. Tinha dias que eu até olhava com gratidão, acredite! Fui percebendo que nem tudo que é fácil, que nos dá gosto ou orgulho hoje, foi bom no começo. Tudo passa-se a aperfeiçoar, ficar mais fácil e entender melhor com o tempo. É questão de prática, de meter a cara à tapa e passar raiva.

A vida é como escrever crônicas. Antes era difícil e complicado. Hoje fazemos no pá-púm.


Comentários

Ao comentar, você alega que está de acordo com a política do blog e de privacidade, consentindo o armazenamento de seu nome e e-mail nos cookies. Os comentários são moderados manualmente e podem levar algumas horas até serem divulgados ao público.

  • Andreia

    Acho que qualquer pessoa goste de escrever, eventualmente acabará por gostar de cronicas. 🙂

    A parte que eu mais odiava era quanto a professora mandava fazer uma cronica. "Uma cronica?" "Sim" "Sobre o que?" "Uma cronica!"

    Arghh! Odiava quando mandava fazer uma cronica e não dava um tema. Com um tema ficava mais fácil escrever a bendita cronica, mas sem a cronica era como tentar encontrar uma agulha num palheiro. -_-

    Adorei a imagem do post. Lembrou-me os romances que ando lendo ultimamente. quase todos históricos. 😀

    Beijokas

  • Claudinha

    Eu sempre tive esses problemas de começar as redações, mesmo que eu gostasse dos temas…sou muito indecisa e escolher que rumo eu iria dar pro texto sempre foi complicado. Mas daí vinham minhas notas e eu nunca tirei nota ruim em redação/português, muito pelo contrário, eu achava que tinha sido mediana e via minhas amigas chorando por ter notas baixas e eu não. rs

    Beijos

  • Mylena

    Eii, Nosa como fiz Crônicos no meu pré Vestibular e não caiu nenhuma na prova, morri de raiva. Desde de pequena eu tenho meus cadernos em que ecsrevia tudo o que me viesse a mente. Não os tenho mais e nem sei que fim levaram mais eu gostaria muito de ve-los só para ver o que mudou na minha escrita de lápra cá. Um dia chego a ser uma boa cronista. Otima semana. Beijo

  • Lívia

    Eu me lembro que entender o que é uma crônica foi um pouco complicadinho no começo, mas depois eu entendi. Eu sempre amei fazer redações… Às vezes quando eu escrevo sozinha fica mais difícil do que no colégio, para mim é assim. No colégio eu sempre tive mais facilidade, as ideias vinham mais fáceis, sei lá por quê. hehe. Beijones e fique com Deus.

  • Maye

    Ter um blog nada mais é do que ter um espaço para suas crônicas. Eu lembro de ficar no colégio e odiar quando a professora mandava escrever do nada, porque acho que a inspiração não aparece quando você quer, pior ainda quando alguém manda você ter uma!

Veja mais comentários:
1 2
ir ao topo