Madly Luv ~ Since 2007 ~ By Ana Flávia Cador
 
Jan 29, 2010
 

Ser blogueira

Blogosfera e Madly Luv  

Recebo muitos e-mails e dúvidas no meu ask me por mês perguntando-me como fazer um blog tipo o meu e como cheguei até onde estou. É serio, são muitos mesmo! Já perdi a conta. É difícil explicar detalhadamente em um simples e-mail ou no box do ask me uma coisa que levei 3 anos para conseguir o que você está vendo hoje. E infelizmente não posso responder a todos os e-mails e no ask me eu já disse dezenas de vezes que já tinha respondido àquela pergunta. Por isso, resolvi postar sobre isso para tentar clarear a mente daquelas(es) que aspiram ter um blog.

Como eu já disse, não é nada fácil. Apanha-se bastante e ninguém nasce já sabendo de tudo — e muito menos deve-se abocanhar mais do que pode comer no início para não se frustrar e abandonar tudo só porque não conseguiu entender nada. Tem que começar do básico. Pelo menos comigo foi assim. Um ano antes de eu entrar na blogosfera, eu aprendi a mexer no Photoshop. Para quem conhece o flogvip sabe que lá há uma incrível disputa de qual é o trabalho mais bem feito, qual é o flog mais visitado. Pelo menos, na minha época era assim. Era um vício, óbvio, e fui tomada por ele quando eu tinha 14 anos. Fiquei flogando alguns meses e foi lá que aprendi minhas "manhas" no CSS.

Depois de saber um pouco sobre CSS eu achei o site da Cristiny. Lá eu fui olhando as bases para fazer um blog e as tags de postagem do UOL. Apanhei pra caramba por um mês antes de colocar o blog no ar e eu fazia tudo a base dos chutes. Quando algo dava certo eu via o que eu tinha feito e se eu fizesse algo de errado, tentava ver onde eu tinha mexido e voltar ao que era antes. Eu buscava tutoriais para eu tentar fazer as coisas sozinha e só gritava por ajuda quando era em último caso, hehe — e sou assim até hoje. Sou muito orgulhosa para essas coisas e eu gosto de fazer tudinho por conta própria.

Não nego que sou ambiciosa. E acho que se ninguém aqui fosse não saberia nem um terço do que sabe quando se trata de blogosfera. Quem gosta realmente de webdesign quer crescer nisso — e não sou diferente de ninguém. Precisa de esforço? Precisa, e muito. Passará noites mal dormidas? Se você é perfeccionista como eu, é bem provável que passará. Mas tudo isso é tão bom e gratificante… quando você termina um trabalho vira algo que você pode chamar de seu, que tem a sua cara, que tem a sua marca.

O lado ruim de tudo isso é que, quanto mais autêntico é o seu trabalho, mais ele entrará no risco de ser copiado e usurpado. Esse eu acredito que seja o maior insulto a uma pessoa que teve todo o trabalho do mundo para conseguir algo só seu e outro alguém xereta seu código e pega suas coisas na cara dura sem nem ao menos dar os devidos créditos. Isso é extremamente baixo e sinal de falta de consideração. E não digo isso por mim, mas por todos os blogueiros que já passaram — e passam — por isso, pois é algo que jamais irá acabar. Se um nunca fez isso ou alguém toma vergonha na cara, dois fazem exatamente ao contrário e não estão nem ai meeeesmo. Quando acontecem essas coisas comigo, tento ser o mais educada possível. Ninguém sobrevive à base de porrada e acredito que quanto mais sutil for, melhor é o resultado e ninguém sai no prejuízo. Já tive a fase de menina barraqueira e acredite: o ibope é pior e você também fica manchada, sendo considerada uma pessoa metida — como muitas vezes já fui chamada naquela época.

Há aquelas pessoas que usam códigos base, pegos em tutoriais de blogs e sites e acho que estão extremamente certas em conseguir aprender através destes. Meus três primeiros temas em WordPress eram temas bases. Mas copiar é algo tão fácil né? Você não tem nenhum trabalho! Legal… "¬¬ Se você gostou do trabalho da pessoa, o que custa pedir autorização? Tenho certeza que nem você e nem a pessoa autora irá passar pelo medo de ser pego e pela raiva de ser plagiada.

Já fui considerada egoísta e mesquinha por não querer dizer tudo o que o sei ou porque eu neguei passar todos os meus recursos do photoshop, como aconteceu uma vez no meu formspring.me. Eu não culpo essas pessoas por me julgarem assim. Quem é que não quer descobrir os segredos da Tamara do True Luv ou da Dani do Sinopse? Mas eu não acho certo a pessoa vier te culpando por essa frustração pessoal e tacando pedras como se você fosse o culpado por ela estar assim. É um direito de todo o blogueiro ter o seu segredinho. Ninguém aqui é santo, é? E te garanto que se você for buscar saber por conta própria, em vez de perder tempo insultando as pessoas, você tem chances de conseguir aprender. Todo mundo tem a mesma capacidade, todo mundo tem cérebro, e há milhares de sites que ensinam truques e disponibilizam os melhores programas de edição de imagens, basta procurar — Google it! Mas a preguiça fala alto, né.

Mas negar uma ajuda sendo que você possui plenas condições de ajudar eu já acho ruim mesmo. Eu tento ajudar na medida do possível e acredito que não é à toa que possuo mais de 460 perguntas respondias no meu ask me. Quando não posso ajudar, eu falo e digo os motivos — pode ser por tempo, por ser bastante complexa a resolução ou até mesmo por eu não saber mesmo — mas quando eu posso ajudo assim que eu puder, e se não ajudei o suficiente eu até indico sites e dou dicas. Só não gosto que abusam da boa vontade e eu também não fico dando nada pronto de graça. Eu ensino a pescar, mas não dou o peixe.

Quando tentei começar a mexer no Cutenews e no WordPress também apanhei bastante. Eu fiz uma conta grátis no web host para testar e aprender. Depois de algumas semanas, quando eu achava que já sabia um pouco — apesar do meu medo de dar tudo errado! — eu colocava na minha hospedagem e começava a usar.

Foi por causa destas "brincadeiras" que meu gosto pelo Design cresceu ainda mais. E se eu consegui fazer tudo isso, qualquer um pode. Basta ter paciência para não soltar as mãos para o ar e desistir de tudo e insistência porque nada vem tão fácil assim e não é sempre que você conseguirá as coisas de primeira. ;D

Não estou dizendo essas coisas para eu me achar a tal e massagear o ego, eu só acho que seria bom eu dar essas dicas. Espero ter ajudado e respondido pelo menos um pouco do grande ponto de interrogação das pessoas que têm me procurado ^^ Sei que há partes deste post que mais parecem um desabafo e indiretas mais que diretas do que dicas — nada pessoal, só é uma coisinha que eu andava guardando durante semanas e encontrei a oportunidade de dizer neste post já que estamos falando de blogosfera, hehe — mas garanto que tudo isso faz parte de ser blogueira. Sempre há os dois lados do tabuleiro e isso ninguém pode negar ;D

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
 
 
  • { :: Loma } Jan 29, 2010

    Hey Aninha <3 (cadê meu core ?) hahaha

    Claro que não chego perto de seu conhecimento fato! mas posso dizer que o pouco q sei aprendi na raça mesmo, como vc eu pergunto em último caso tio google é muito bom hehehehe, lembro-me que meu primeiro lay foi pelo Weblogger num site chamado Casa dos Templates em mil novecentos e bolinhas hahahaha tinha uns 12\13 anos.

    Concordo contigo tem pessoas que só fala contigo ou só te procura com uma finalidade "conseguir algo" geralmente são as "crianças" da blogosfera chuta bem longe hahaha… cara eu não te pertubo, pertubo? hahahaha

    Bjs ótima semana

    :: Loma

    ps: ameiiiiiiiiiiiii o novo look arrasando como sempre Anita

  • { Lusinha } Jan 29, 2010

    Ana, só passando para avisar: achei a versão equivalente ao "Read it Later" do FF pro Google Chrome, então se você precisar, o nome é Chrome RIL.
    Bjitos!

  • { Lilika } Jan 29, 2010

    Oi, Ana!
    Gostei muito do seu post (e li inteirinho, juro! rs).
    Eu sou extremamente a favor de fuçar. Grande parte do que eu sei (que não é muito, mas é quase o suficiente pra eu me sentir bem com meu conhecimento) eu aprendi fuçando. Pegava templates do Blig e tentava entender, numa época em que não existiam fóruns ou blogs cheios de extras e tutoriais. Aí teve a época em que eu editava descaradamente código e imagem de templates shops (o que eu mais copycateei – rs – foi o Casa dos Layouts). Mas com o tempo (no auge da maturidade que meus 13 anos me permitiam rs), fui aprendendo que aquilo era errado, que tudo bem eu aprender fuçando, mas "tudo mal" eu copiar.
    Eu não ligo de fornecer os links dos recursos que uso, porque acho que se eu não disser de onde peguei ou ficar escondendo, eu não vou estar dando os devidos créditos a quem é, de fato, o dono, já que aquele conhecimento não veio de mim, portanto, não tem porquê ficar protegendo. Eu até acho bacana passar os links, porque aí a pessoa vai lá, se ferra pra entender o tutorial e vê que não é tão fácil assim… rs mas, claro, isso é só minha opinião! E é óbvio que mostrar onde você pegou é diferente de entregar tudo, porque eu tbm acho que tem que se virar, descobrir sozinho, por exemplo, que algumas aspas vêm erradas nos tutoriais e que você tem que corrigir… porque se toda vez você for fazer algo, você precisar de ajuda, você não aprendeu, apenas copiou.
    Tal qual você, sou orgulhosa demais pra pedir ajuda. Primeiro esgoto o máximo que puder com minhas próprias tentativas, depois tento achar soluções prontas (santo google!) e, em último caso, pergunto ao owner… pride, baby! rs
    Malz pelo comentário gigantesco >< rs
    Beijão, Aninha!

  • { Natynha } Jan 29, 2010

    Pois é né Ana ^^
    fiquei lendo seu post e refleti um pouco,
    como a gente quebra a cabeça pra aprender coisas novas…
    mas é tão gostosa a sensação de "eu consegui" atravéz do meu próprio esforço!
    Realmente não dá pra responder esse tipo de pergunta!
    São conquistas que, somente quem as tem sabe expressar atravéz da inovação! \o/

    bjão! ;*

 

 

* Fique por dentro da Política do Madly Luv e saiba como aproveitá-lo da melhor forma! :D