Madly Luv - O mLuv é um blog pessoal no qual aborda vários assuntos como design, músicas, literatura, arte, televisão etc. Desenvolvido e mantido por Ana Flávia Cador.

Resenha: Hyperbole and a Half

Leitura
Livro: Hyperbole and a Half
Autor(a): Allie Brosh
Editora: Planeta do Brasil
Classificacao:
Sinopse: Em Hyperbole and a Half — situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram, a autora apresenta alguns dos textos mais lidos e comentados em seu blog e também muito material novo, inclusive histórias sobre seus cachorros, sua luta para lidar com a depressão e a ansiedade, além de anedotas hilárias sobre sua tumultuada infância. Inteligente, irônico e absurdamente engraçado, o livro traz o estilo inimitável de Allie nos textos e nas ilustrações, além de algumas de suas típicas reflexões que conquistaram o coração de inúmeros leitores.

Eu conheci este livro quando eu estava na livraria com minha amiga que tem 50 livros a cada metro quadrado da casa dela. Ela me recomendou a comprá-lo pois ele era extremamente engraçado! Apenas pelo fato dela pegar o livro e ter dado gargalhadas no meio da livraria, me convenceu de leva-lo — além do fato de eu achar graça dela ter achado graça só de tocar no livro, haha. Ai Deus, como eu sou boba.

Eu achava que não seria tão engraçado assim, que era apenas a mente dela me induzindo a comprar mais livros para eu enfiar não sei aonde em meu quarto minúsculo. Foi quando em minha hora de sossego peguei o livro e comecei a chorar.

Eu ria tanto, mas tanto… que eu não conseguia terminar a história! Hahaha. Foi daí que fiz a promessa que leria apenas uma história do por dia para não acabar toda a graça de uma vez. Quando cheguei na 6ª historia (do total de 12) eu não aguentei e desembestei a ler todo o resto.

O livro conta diversas situações engraçadas, lamentáveis e caóticas sobre a vida de Allie, de seus amigos e de suas cachorrinhas. A obra é resultado de um grande sucesso de seu blog de mesmo nome, que rendeu dezenas de comentários e milhares de visualizações devido às suas histórias e ilustrações dramáticas, exageradas e sem nenhuma técnica aparente. Parece que todas as ilustrações são feitas no Paint, como se fossem memes. Mas o mais engraçado é que, apesar de todas as ilustrações ser feitas por pauzinhos e pouco elaboradas, elas têm um forte caráter ilustrativo e expressivo (Ana designer falando, rs) para complementar a linguagem extremamente informal e divertida de Allie.

Hyperbole and a half é aquele livro que você não pode levar no ônibus. Só se você quiser passar vexame ou não ter problema algum se alguém te olhar como se você tivesse problemas psicológicos. Entretanto, eu sei que isso pode não se aplicar a todos, e com certeza terá sempre um ou outro que vai achar o livro ridículo. Sofri quando meu namorado pegou o livro, deu uma lida e não soltou uma risada sequer — ou ele que é extremamente sério (às vezes é, e eu que sou a boba alegre), ou fingiu que não viu graça no livro só para ser do contra e me atazanar (o que é bem comum ele fazer isso), ou ele estava de mau humor neste dia (o que também acontece de vez em quando).

Li outro dia uma resenha de uma leitora dizendo que o livro é pouco engraçado e com histórias sem sentido, e tem aquele "humor americano" que não é a mesma graça para nós. Não sei como ela chegou a essa conclusão, já que o livro foi bem adequado para nossa linguagem e ficou bastante divertido. Ou então talvez eu tenha problemas em ver graça em situações ridículas já que sou então, literalmente, uma boba alegre.

Enfim, reflita. Só sei de uma coisa: para mim foi um livro hilariante. Fez meus dias ficarem mais felizes porque eu precisava de algo que me tirasse da depressão que estou sentindo já que estou terminando de ler a trilogia Divergente e estou sofrendo e chorando rios, rs.

Veja também...

Resenha: Eragon, Ciclo da Herança
Resenha: Maze Runner, Prova de Fogo
Resenha: Maze Runner, Correr ou Morrer

6 Comentário(s)

(6 pelo blog e pelo facebook)