Resenha: Convergente

Leitura
Livro: Convergente
Série: Divergente
Autor(a): Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: Livro em seu formato digital
Classificacao:
Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.

Eu quero te dizer o quanto este livro me emocionou, me deixou com raiva e, ao mesmo tempo, maravilhada. Convergente foi muito mais do que os outros livros da trilogia. Ganhou o meu coração. Talvez você não concorde comigo, caso você tenha lido este livro, mas o achei incrível.

Antes a trama girava em torno das rixas entre as facções e como Tris se desenvolvia e se descobria em sua divergência. Neste volume o tema sobre a natureza humana foi o novo foco, e como a descoberta de um mundo além da cerca abalou as estruturas dos personagens.

Enquanto em Insurgente Tris quase perdia sua sanidade pelo peso de sua culpa e traumas adquiridos no final de Divergente, em Convergente ela se torna uma garota centrada e consciente que sua vida é valiosa. O relacionamento dela com Quatro se eleva a outros patamares enfrentando ao mesmo tempo problemas de ciúmes e confiança.

A divergência toma outro rumo. O que antes era uma ameaça ao sistema, se tornou uma espécie de salvação para o mundo lá fora. Mas surge dúvidas em como isso pode influenciar na natureza humana e se isso torna alguém melhor que o outro. Será que isso era possível? Uma disfunção genética antes agora considerada perfeição? Todos nós sabemos que ninguém é melhor do que ninguém. Pessoas são distintas e todos nós temos defeitos e qualidades. Não há perfeição. E Convergente nos mostra muito bem que caráter e valores morais valem muito mais do que genes.

Conclusão

Eu tenho que confessar que em alguns pontos a história peca, me fazendo tirar uma estrela da classificação. A descoberta do mundo além das cercas, as explicações sobre os motivos que levou Chicago a ser o que ela é atualmente, os motivos da Guerra a dezenas de anos atrás… achei que a autora deixou um pouco vago, ou que não soube explicar tudo tim-tim por tim-tim. Veronica Roth poderia ter se empenhado mais nestes aspectos.

Por outro lado, conhecemos Tobias a fundo pois ele também se torna narrador! Achei fantástica esta forma de narrativa, tornando a leitura mais complexa e nos mostrando outro ponto de vista. E, além disso, os outros personagens antes coadjuvantes, neste volume ganham quase o mesmo peso que os protagonistas. Todo personagem é crucial e tão complexo quanto o outro. Neste quesito, a autora trabalhou muito bem na humanização dos personagens.

Eu não estava pronta para me despedir da trilogia. Demorei um mês para ler o livro porque eu não queria acabar! Fiquei lendo aos pouquinhos e mastigando tudo o que poderia digerir da história. Vi resenhas criticando-o negativamente até o último fio de cabelo, e li spoilers que eu me recusava a acreditar. Entretanto, o final Convergente me emocionou (e muito), e sofri horrores. No começo eu não me conformava com o final, mas depois de me acalmar e pensar no desenrolar da narrativa como um todo, descobri que não poderia ter um final diferente do que foi relatado. Quem leu Divergente e Insurgente sabe que a ousadia da Audácia e o altruísmo da Abnegação andam de mãos dadas, que ambas são extremamente corajosas. E Tris é o melhor exemplo disso.

Você já leu Convergente ou algum dos livros desta trilogia? Me conte o que achou!

Veja também...

Resenha: Eragon, Ciclo da Herança
Resenha: Maze Runner, Prova de Fogo
Resenha: Maze Runner, Correr ou Morrer

20 Comentário(s)

(20 pelo blog e pelo facebook)
  • Sybylla
    Visitar blog
    27 . 09 . 2014

    Eu adorei Divergente, gostei de Insurgente…. e por mim tinha arremessado Convergente pela janela. rs Sério. Eu odiei esse último livro. Achei que os fatos foram jogados sem cuidado, toda aquela questão genética. O livro terminou e senti que faltava uma explicação melhor pra tudo aquilo.

    Fiquei com a impressão que a autora só escreveu Convergente pra que fossem três livros ao invés de dois. rs E ainda assim ficou horrível. Diferente de Jogos Vorazes, o último livro de Roth ficou péssimo. Fiquei inconformada com a autora. Ela usou a Síndrome de Trinity, desperdiçando uma ótima personagem pra elevar o personagem de Quatro que, claramente, era um coadjuvante para Tris. No fim, ela inverteu e ficou, bem, uma porcaria.

    :D

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      27 . 09 . 2014

      *** SPOILER ***

      @Sybylla, eu adorei Convergente, haha. Eu acho que o grande pecado da Veronica foi não ter conseguido explicar de forma clara a questão da genética e todos aqueles experimentos, sabe? Se ela tivesse feito uma abordagem melhor, daria outra impressão no final. Fiquei com muita raiva de início, mas depois me conformei.

      Não achei desperdício a morte de Tris, muito menos da ênfase no Quatro (não acho ele nem um pouco coadjuvante), pois achei necessária por causa do final, para a gente realmente conhecer os sentimentos do Tobias com o passar do tempo e também o foi uma forma de mostrar o desenrolar da estória no final após o assassinato dela. Se Tris não tivesse morrido ela seria a narradora-personagem todo o tempo.

      Eu entendo a sua raiva e o porque você ter achado uma porcaria o último livro. Mas acho que nossas opiniões são contrárias, Sybylla. Acredita que eu desisti de terminar de ler o terceiro livro de Jogos Vorazes porque não estava gostando de jeito nenhum? Odiei com todas as minhas forças. E depois que li alguns spoilers desisti de vez. E eu quase desisti de Convergente porque também, mas segui em frente e quase infartei depois, haha.

      Beijocas e obrigada pelo comentário!! *-*

      Responder

  • Nary
    Visitar blog
    13 . 07 . 2014

    Quase não terminei de ler também, fiquei enrolando pra não acabar a trilogia.
    Achei lindo mas fiquei realmente inconformada. Eu já sabia o desenrolar de Tris na trama, mesmo antes de ler o livro – li uma resenha que soltou uma dica foda, acabei entendendo o que ia acontecer. Entendo a decisão da autora mas mesmo assim , putaquepariu. hahaha

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      21 . 07 . 2014

      Puta que pariu mesmo né @Nary, kkkkkkk. Também fiquei inconformada de início, mas depois me acostumei, hehe. xD
      Mas que a trilogia é foda, não dá para negar <3

      Beijocas!

      Responder

  • Daniel Will
    Visitar blog
    06 . 07 . 2014

    Nossa, quanto mais eu lia Divergente mais eu me apaixonava ? Mas Convergente foi incrível.
    Quando eu terminei foi depressivo, eu já tinha até toda uma trilha sonora para ler a trilogia.
    O final é tão caramba-rasga-meu-coração-porque-tá-triste-e-perfeito. Imaginando isso no cinema.

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      09 . 07 . 2014

      @Daniel Will, não foi incrível? Convergente ganhou meu coração! Fico imaginando este drama no cinema. Se tiver a mesma fidelidade que a primeira adaptação teve, será maravilhoso! *-*

      Responder

  • Isabelle
    05 . 07 . 2014

    Estou loooouca para ler este livro. Assim como a tua resenha, outras que vi por aí me deixaram com mais vontade ainda! <3
    Blog Isa e Dani / Fan Page do Blog / Twitter

    Responder

  • Larissa Portela
    Visitar blog
    04 . 07 . 2014

    Eu já li toda a trilogia, e os dois primeiros livros me encantaram mas o último me decepcionou. Não, por causa do final com a Morte da Tris, mas porque a história não convenceu, como vc mesmo disse a autora poderia ter trabalhado mais nisso.
    Outro ponto que me decepcionou foi a narrativa do Tobias, em várias vezes lendo o livro eu tive que voltar e ver quem estava narrando pois a narração do Tobias era muito parecida com a da Tris. Convergente me decepcionou, eu esperava mais pro final da série. Eu esperava que fosse tão bom quanto os primeiros livros.

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      09 . 07 . 2014

      @Larissa Portela, eu achei ele tão bom quanto os outros livros. Mas sei que é uma questão de ponto de vista e a maioria não gostou. Mas achei o final super digno, hehe. De fato a estória poderia ter sido mais trabalhada pela autora, mas acho que foi só esse o problema. De fato a narrativa podia confundir um pouco, mas não sofri com isso pois li ele bastante devagar, hehe. Lia cerca de um ou dois capítulos por dia, deve ser por isso que eu conseguia me situar quem estava falando, vai saber rsrs. Eu consegui ver a mesma essência dos outros livros nele. ;)

      Beijocas!

      Responder