O diferente normal

Pessoalidades

Sabe, às vezes acredito que sou um pouco estranha… Tenho gostos um pouco "diferentes", alguns caretas e românticos demais, limitados demais, outros peculiares. Entretanto, por vezes me pego seguindo algo que eu acredito ser comum demais, normal aos olhos da maioria da população. Percebi que as pessoas desejam tanto ser diferentes umas das outras, que acabam sendo todas iguais e, por fim, isso acabou virando uma moda. E que as pessoas normais são as mais verdadeiras e autênticas.

Notei que as pessoas realmente diferentes, que se destacam, não se importam com o que os outros vão pensar em relação ao seu modo de pensar ou suas atitudes. Seguem seu coração e baseiam-se na educação que receberam em casa. O seu gosto musical pode ser igual aos de muitos, mas a sua maneira de encarar aquilo é diferente dos outros. Seu estilo de se vestir pode ser parecido com a maioria das pessoas, mas ela realmente ama o seu jeito e se sente bem com aquilo, não interessa se está na moda ou não. Seu gosto por Harry Potter ou Crepúsculo é exatamente igual ao de muitos outros, mas ela não começou a gostar porque isso virou febre, ela gosta porque se identifica.

Entendeu o que eu quis dizer? Uma pessoa original não precisa ter uma aparência diferente, se vestir toda punk ou toda patricinha, não precisa gostar de Lady Gaga ou de música clássica ou axé. São os seus modos de agir, pensar e encarar a vida é o que realmente importa. De vista pode ser uma pessoa tão comum, mas quando a realmente conhece a vê que o tanto que ela é diferente das demais.

E para ser sincera, eu me acho estranha porque eu não me considero diferente e nem igual às pessoas. Muitas vezes não me encaixo em meu próprio grupo de amigos, embora muitas vezes seja completamente ao contrário, dependendo do momento. Considero isso algumas vezes sendo ora uma coisa boa, ora ruim. Que sentido tem de eu conseguir ter esta análise das pessoas (eu posso estar errada, vai saber) se eu continuo sendo uma incógnita para mim? Foi ai que eu percebi que não devo me comparar a ninguém.

E quer saber? Quem disse que o ser humano precisa ser realmente entendido? Quem disse que realmente precisamos entender tudo o que se passa em nossa volta? Porém sei que não podemos ser totalmente cegos. Talvez eu esteja sendo normal para uns e diferente para outros, mas quem se importa realmente? Sou o que sou. Faz parte de mim ter estas incertezas, convicções, ilusões e/ou realidades.

Apenas quero viver. Sem medo dos outros.

Veja também...

Não nasci para ser "blogueira"
Realizações de 2016 e pedidos para 2017
Projeto Mete a Colher: Sororidade na palma da mão

35 Comentário(s)

(35 pelo blog e pelo facebook)
  • Paulinha
    Visitar blog
    21 . 03 . 2010

    Nossa, tinha um tempinho que eu não vinha pra cá e e já está tudo diferente! Eu também sou indecisa nas coisas que eu realmente gosto, mas veja pelo lado bom, somos ecléticas (?) Hihi
    Beijos.

    Responder

  • Mih
    Visitar blog
    20 . 03 . 2010

    Oi Aninhaaaaaaaa, q saudade de vc minha piscicóloga virtual (em breve formada em design gráfico, uii!) kkkk Adorei o post, não me considero diferente, só anormal, realista ao extremo q muitas vezes nem ligo se o que eu disse machucou ou não a pessoa, pelo simples fato de ter opnião própria, não ligo mais pra o que dizem a meu respeito ou pensam de mim. só sei que !eu exito" e não vou me calar, nunca liguei pra moda, é bom ser incomum! Amo vc amiga! Aparece lá!

    Responder

  • Priscila
    Visitar blog
    20 . 03 . 2010

    seu post me deixou bem intrigada! fiquei pensando nele, enquanto voltava pra casa depois do cursinho… sabe, talvez essa coisa de querer se achar diferente, seja algo cultuado na nossa sociedade hj em dia. Hoje em dia, todo mundo quer ser diferente, quer se destacar… seja por ouvir e conhecer todas as bandas de rock em um circulo social em que a maioria eh pagodeiro, ou seja por voce ser pagodeiro num meio onde todo mundo ouve rock… as vezes, nem importa a qualidade(se eh que pode se julgar isso) das coisas, mas simplismente o querer ser diferente.

    Mas, como estava propondo ali em cima, acho que eh algo da nossa geraçao, da nossa epoca mesmo… vc ja viu nas embalagens da ruffles, a batata, o que tem escrito no verso? 'faça barulho, mude o mundo, seja diferente, coma ruffles'…alguma coisa do tipo.

    Eles so se apropriam da ideia de diferença, de fazer A diferença, de sei la, ser unico e especial, pra pessoa acreditar que ela realmente ta sendo ao consumir o produto. E acho que as demais coisas incorporaram isso…as proprias pessoas, sabe? se tem 15 anos e gosta de chico buarque, 'nossa,que diferente!'…

    mas como vc disse ali em cima… essas diferenças de aparencia, gosto, ideias, so nos tornam mais iguais. Acho que o muda de pessoa pra pessoa, eh algo ialienavel, o carater mesmo. E isso que nos torna unicos.

    Responder

  • Gaby
    Visitar blog
    19 . 03 . 2010

    Isso é uma questão bem complicada né? Realmente as vezes nos vemos em alguns momentos nos quais nem mesmo a gente consegue se entender,e nos vimos em algum lugar que ninguém consegue tbém, acho que dai que vem a frase " se sentir sozinho no meio de uma multidão". realmente entender um ser humano não é algo assim mais faci, porem penso assim, pra que entender, se quando temos algumas incognitas é muito melhor?
    Realmente as vezes nos sentimos diferente a todos, e outras totalmente iguais, e isso nos mostra que nós realmente temos a nossa opnião, que sabemos o que queremos e que assim só temos que aprender a lidar com isso.,

    Bjinhos

    Responder

  • Lusinha
    Visitar blog
    19 . 03 . 2010

    Ah Aninha, acho que, na verdade, não nos conheceremos por inteiro e que viveremos sempre nessa busca de saber quem somos. E por que penso assim? Porque a cada dia que passa me surpreendo comigo mesma. Às vezes de uma forma boa, às vezes não…
    Bjitos!

    Responder


1567