Resenha: O Arcano Nove

Leitura
Livro: O Arcano Nove
Série: A Mediadora
Autor(a): Meg Gabot
Editora: Edições BestBolso, Saraiva
Páginas: 196
Classificacao:
Sinopse: Para uma adolescente, trocar de cidade pode ser um trauma. Para Suzannah, a mudança de Nova York para Califórnia está sendo ótima: novos amigos, muitas festas e dois caras bonitões e muito interessantes. Só que um deles é um fantasma. E o outro pode matá-la. Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de se comunicar com os mortos e resolver as pendências deles na Terra. A velha casa para onde se mudou com a mãe e o padrasto é assombrada por Jesse, um fantasma jovem e gentil. Como Jesse não liga muito para ela (e, além do mais, está morto), Suzannah se entusiasma com o interesse de Tad Beaumont, o garoto mais cobiçado da cidade. Mas o fantasma de uma mulher, cujo assassinato pode ter relação com um mistério no passado de Tad, a atormenta. E a vida de Suzannah pode estar ameaçada. Ser adolescente é complicado. O que dizer de uma garota que precisa dividir sua atenção entre a própria vida e a morte dos outros?

Mais uma vez, Suze me dá boas risadas com o jeitinho nada sutil dela, rsrs. Desta vez, ela não é atormentada apenas por um espírito, mas sim gente de carne e osso também! Neste livro Suzannah conhece o deus grego Tad, que — ela não consegue descobrir como — começa a se interessar por ela, e mal sabe ela a enrascada que ela está se metendo ao se envolver com ele e sua louca família de magnatas psicóticos, hehe.

Enquanto ela vive nesse romancezinho nada saudável com Tad, Jesse e o espírito do pai dela a alertam sobre o perigo que ela corre, além do espírito de uma mulher que a acorda pela madrugada com gritos horrorosos suplicando para que entregue um recado a uma pessoa na qual Suze passa mals bocados para conseguir entender quem ela realmente é. Isso sem contar que ela está começando a se apaixonar pelo espírito do lindo e charmoso Jesse, morto a 150 anos e que assombra o quarto dela, deixando-a confusa.

Como eu já disse, não sou fã de Meg Gabot, porém estou me divertindo com essa série. Mas eu não posso negar que a essência da personagem principal é fútil. No fundo deu para entender que ela só quer beijar cara mais gato do pedaço, usar roupas de grife e mandar qualquer um tomar naquele lugar se por acaso tentar ajuda-la ::stress:: Meio bobo, confesso. A história é muito boa, só que poderia ter sido mais bem elaborada por Meg, já que o tal do Arcano Nove, que é o próprio título deste volume, é citado apenas uma vez e bem vagamente. Tenho expectativas que explique melhor no próximo volume, entitulado como Reunião. ;D

Veja também...

Resenha: Eragon, Ciclo da Herança
Resenha: Maze Runner, Prova de Fogo
Resenha: Maze Runner, Correr ou Morrer

19 Comentário(s)

(19 pelo blog e pelo facebook)
  • Madalena
    Visitar blog
    22 . 08 . 2011

    Ooooi Anaa! Lembra de miim ainda? Faz tempo que não apareço por aqui né… Mas ainda lembro de quando seu blog era do zip.net e da sua época de vestiba. Bom, queria te dar os parabéns pelo blog, e por seu crescimento pessoal, te admiro muito. Na minha época dos 13, 14, eu fazia coleção dos livros da Meg, adorava. Ainda tenho um carinho muito especial por eles, afinal, marcaram parte da minha vida. A mediadora é sem dúvidas a série que eu mais gosto dela (tenho até o primeiro volume autografado). Concordo com a sua crítica, mas apesar disso, a graça é ler entrando nessa onda mesmo. Bom, já falei demais. Beijos, e boa semana! ;*

    Responder

  • Lelen
    Visitar blog
    06 . 08 . 2011

    O único problema dos livros da Meg é que eles tem a escrita voltada para um público mais juvenil, pessoas mais no início e meio da adolescência, se você já está numa fase mais adulta, definitivamente não vai gostar de como ela escreve HAHAH
    Tipo eu, comecei a ler O Diário da Princesa quando tinha uns 12 anos ou algo assim, o décimo volume saiu quando eu já tava mais velhinha, só li mesmo porque era o final da série… "A Mediadora" eu só comecei a ler porque falava sobre fantasmas, e por mais juvenil que seja eu adoro histórias com fantasmas HAAHHA
    Chegou no meio do caminho eu meio que desanimei, era muito "nhe nhe nhem" de menina jovem -q Mas enfim terminei de ler, e olha, adorei!

    Responder

    • Ana Flávia
      Visitar blog
      06 . 08 . 2011

      É verdade @Lelen, você tem toda a razão. A literatura de Meg é bem jovenzinha, coisa de menininha mesmo. Deve ser por isso que nós que estamos à beira dos 20 não se interessa tanto (exceto história de fantasma que também adoro, por isso que to lendo a série, haha)!
      Beijocas e obrigada pela visita ^^

      Responder

  • May
    Visitar blog
    06 . 08 . 2011

    Oii Ana! Ainda não li nenhum livro da série, e tão cedo não vou ler, porque com tantas séries que eu tô lendo atualmente e a falta de tempo, acho que vou ler essa só nas férias.. sem contar que o terceiro livro de Hush Hush táa chegaaandooo! *——-*

    Responder

  • Lilian Britto
    Visitar blog
    05 . 08 . 2011

    E se eu te contar que não tive paciencia nem pra ler o primeiro livro dessa série, vc acredita? Qdo abandonei o livro, uma porção de gente torceu o nariz qdo falei… Mas achei a história bobinha, cheia de clichês, parecida c algumas q eu já conhecia. Acabei perdendo o interesse e não li… Talvez eu ainda volte a ler, talvez não, depende muito do meu humor, rsrsrrs, e com tantos livros pra ler, acho q isso não se dará tão cedo!
    Bjus Aninha, bom findi amore =**

    @morenalilica

    Responder

    • Ana Flávia
      Visitar blog
      06 . 08 . 2011

      Hhaushaushu eu acredito @Lilian Britto, porque comigo foi assim ao ler O diário da Princesa! A história em si não é tão boba, ela podia ser muito mais aproveitada e ter dado uma ótima história de suspense/paranormal. O que irrita mesmo é a protagonista menininha de tudo que se acha dona do próprio nariz e cheia do não-me-toques, rsrs.
      Beijocas e um bom findi pra você flor ^^

      Responder

  • Lari
    Visitar blog
    05 . 08 . 2011

    As pessoas falam muito bem dos livros da Mediadora *-*
    Se apaixonar por um fantasma de 150 anos? Quando vi isso fiquei curiosa em saber como iria adiante isso tudo. Mas pelo que você descreveu da personagem, acho que é típico do que um adolescente é e gosta, pelo menos a maioria, acho. Será que a intenção não foi mostrar o lado adolescente e infantil da personagem? Mas no final do livro ela não muda?
    Ahh, eu quero ler :D
    Beeijo, Ana.

    Responder

    • Ana Flávia
      Visitar blog
      05 . 08 . 2011

      Oi @Lari ;)
      Sim, você está certa. A descrição da personagem é o perfil de várias adolescentes, mas não sei… não acha fútil uma personalidade assim? É uma história muito interessante para uma personagem que poderia ser menos bobinha… não sei, mas é o que penso, talvez seja porque eu já passei dessa fase e já to ficando velha (tá, nem tanto), ou só estou de birra com a menina, rsrs.
      Talvez no final da série ela mude um pouco e amadureça né, quem sabe? Isso sem contar na grande curiosidade em como vai ser o lance dela com o Jesse, né? *-* Leia a série! Ai então você tira suas próprias conclusões, e depois vem aqui e dê sua opinião, ok? ;D
      Beijocas e obrigada pela visita.

      Responder