Madly Luv - O mLuv é um blog pessoal no qual aborda vários assuntos como design, músicas, literatura, arte, televisão etc. Desenvolvido e mantido por Ana Flávia Cador.

E-reader ou tablet? Qual vale a pena investir?

Tecnologia

Há poucos meses atrás comprei um Kindle para ler meus e-books. Como eu já lia livros no iPad, estava muito na dúvida se valia realmente a pena comprar um, até que surgiu a Bienal de SP ano passado e aproveitei a oportunidade que estava mais barato e pedi para uma amiga que estava indo para lá para trazer para mim. Depois de usufruir bastante do Kindle, agora eu quero escrever o primeiro post de 2015 com uma opinião mais estruturada sobre a diferença entre os dois, bem como qual vale a pena investir. Vamos lá?

E-reader ou Tablet? | Madlyluv.com

Kindle Paperwhite e iPad 2

O Kindle é um leitor (e-reader) de e-books criado pela Lab126, uma empresa subsidiária da Amazon, que está no mercado desde 2007 e perdeu um pouquinho de seu brilho quando o iPad chegou em 2010. Os e-readers como o Kindle possui uma tela com cores em escalas de cinza e preto e possui funções básicas de interação — algumas das vezes não sendo nem touch, apenas em botões — e os mais atuais possuindo acesso à internet, só que ainda na tela monocromática. Por outro lado, também sabemos que as tablets são dispositivos maravilhosos. O iPad e tablets de outras marcas, como as da Samsung por exemplo, possui infinitas possibilidades de aplicativos para fazer N funções, tarefas, jogos e dentre outras coisas tanto para auxiliar nossos trabalho ou para lazer e entretenimento.

Entretanto, quando se trata de leitura densa como acontece com livros, eu afirmo com certeza que um e-reader como o Kindle é mil vezes melhor.

Por que e-readers são melhores para ler do que as tablets convencionais?

Os e-readers possuem na tela uma tecnologia chamada papel eletrônico (electronic paper ou e-paper), também conhecida como tinta virtual (electronic ink ou e-ink). A tela é chamada de EPD (Electronic Paper Display), que busca imitar o papel convencional dos livros, que futuramente poderá fornecer outras alternativas de tecnologia para interfaces eletrônicas. Juntamente com esta tecnologia, os e-readers buscam trazer melhor conforto para a leitura densa — ao contrário das tablets convencionais, que possuem outros objetivos além da leitura.

A prioridade principal do e-reader é ler, e ler muito. Um e-reader possui um tempo de duração de bateria espetacular (podendo durar mais de um mês) devido ao e-ink utilizar poucos recursos de bateria, bem com a iluminação de leds nas laterais (vem na maioria e-readers), que também impedem a iluminação direta nos olhos como acontece nas tablets convencionais. Não cansa a vista, não atrapalha o leitor com notificações de facebook e dentre outras mídias sociais e e-mails, incentivando assim a ler por mais tempo independente da iluminação externa.

O custo do Kindle

Os e-readers são mais baratos do que o iPad e as tablets mais populares. Eu paguei o meu Kindle Paperwhite em promoção por R$375 (R$100 mais barato que o normal) e achei que foi baratíssimo pelo tanto que uso ele. Levo para tudo quanto é lado sem medo, ao contrario do que seria para o iPad — imagina ler no iPad no ônibus? É roubo na certa. Os outros e-readers com iluminação também giram em torno deste preço e não passam de R$500 e pouco (exceto os 3G), enquanto as melhores tablets do mercado são acima de R$700 e o iPad da última geração é mais caro ainda.

E-reader ou Tablet? | Madlyluv.com

A problemática do preço dos e-books

Eu baixo meus livros de graça através do Minha Teca e Le Livros. Sei que não é correto devido à pirataria, mas a maioria dos livros que leio não possuem uns preços tão justos assim. Gente, pelamordeDeus… Um e-book formato .epub, .mobi, .txt, ou qualquer outra extensão que um livro possui em apenas seu conteúdo em texto (e não com recursos de interação, design de interface e identidade visual como acontece em revistas e ebooks para iPad), custam muito pouco porque a criação é muito simples — digo isso porque em meu trabalho presencio a criação de e-books para educação à distância e sei que não é nada muito complexo.

O que acontece é que a realidade dos valores dos direitos autorais e de distribuição dos e-books variam de editora para editora e muitas colocam o preço lá em cima, e isso também inclui o preço da loja virtual que está oferecendo o produto. O custo não está errado, o autor tem direitos assim como a editora e a loja precisa de seu lucro, mas não é justo um e-book ser tão caro quanto um livro físico. Posso estar falando besteira, mas um e-book para mim não pode passar de R$15, e já vi ebooks custando mais de R$25. Acredito que, se todos os e-books possuíssem um baixo custo, o índice de compra subiria. A distribuição é rápida, ágil e prática. Não há motivo para ser cara se é em larga escala, não é verdade? Um livro físico precisa de uma produção muito maior e de mais recursos materiais para a produção quando se compara à de um livro digital, além do custo de produção ser mais alto e o processo é bem mais lento. Então a maneira que encontrei para pagar ao autor e à editora é: ler o e-book grátis e, caso eu goste (o que acontece na maioria das vezes), compro o livro físico.

Uma curiosidade…

Lembra que eu falei que futuramente o e-ink poderia ser utilizado para interfaces digitais? Enquanto eu estava pesquisando artigos para fazer este post, eu descobri que, no final do ano passado surgiu uma notícia de um smartphone Android, chamado Yotaphone, que possui duas telas: uma de LCD normal de um celular e outra de EPD igual dos e-readers que conhecemos (e pelo o que entendi ambas são protegidas com o Gorilla Glass, um protetor de tela super resistente). E até achei um vídeo falando sobre este celular, que vale a pena dar uma conferida. Posso falar uma coisa? Achei FANTÁSTICO! Acho que o e-ink tem muito ao que oferecer, bem como tem muito ao que se aperfeiçoar. E a ideia desta mistura entre smartphone/tablet com a tela de e-reader pode vir com tudo!

Conclusão

Vale lembrar que não estou desmerecendo de forma alguma o iPad e entre outras tablets. Apesar do processador ser bem melhor do que os e-readers, elas possuem outros objetivos. Objetivos que vão além da leitura. Dá para ler nas tablets, sim, só que a leitura densa pode ser cansativa. A tela EPD dos e-readers são vistas perfeitamente à luz do dia, enquanto das tablets convencionais se colocar a tela LCD ou LED à luz direta solar não dá para se ler praticamente nada. No Kindle consigo ler no ônibus indo para o meu trabalho, deitada na rede do jardim de casa sem se preocupar com iluminação, bem como ler no meu quatro com as luzes apagadas para esperar o sono vir — a luz LED do e-reader vem das laterais, iluminando a tinta virtual e não o usuário, como acontece tela LCD de um iPad. Por outro lado, no Kindle não posso jogar, navegar em meus blogs preferidos ou ver minhas séries no Netflix da mesma forma como no meu iPad.

Eu sou tão apaixonada pelo meu kindle quanto pelo meu iPad! Não deixei de usar um quanto adquiri o outro. E acredito que são dois investimentos que valem a pena. E você? Possui uma tablet ou um e-reader? Qual você acha que é melhor para a leitura? Você gosta de livros digitais? ;D


Este post não foi patrocinado por nenhuma marca citada acima.
O conteúdo foi escrito por livre e espontânea vontade, com muito amor para você.

Veja também...

Projeto Mete a Colher: Sororidade na palma da mão
Resenha: Inbox by Gmail
Deezer: música everywhere!
¬¬ zZz x_x o_O ^^ T_T ;D :x :S :P ::teary:: ::sweat:: ::stress:: ::rolleyes:: ::love:: ::cool:: ::blush:: ::attention:: ::angry:: :) :( ._. *o* *O_O


110 Comentário(s)

(110 pelo blog e pelo facebook)
  • Renata
    23 . 05 . 2017

    Ei aninha posso te pergunta uma coisa?
    Sabe já faz um tempo eu comprei um kobo só que eu nunca conseguia ler, tipo nada mesmo ele travava na primeira pagina do livro.. então acabei devolvendo
    Quero muito comprar um kindle mas por ser caro fico com medo que ele fique travando toda hora eu não consiga ler..
    Então deixa eu pergunta, na sinceridade já teve alguma experiencia ruim com o kindle? =x
    Ou tipo ele trava muito de ser impossível ler um livro?
    é isso obrigada :)

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      23 . 05 . 2017

      Oi, Renata! Eu nunca tive uma experiência muuuito ruim assim com o Kindle, sinceramente. O maior problema do Kindle é o PDF mesmo, que não é tão legal para se ler, pois dependendo da forma como o PDF é formatado, ele nao fica legível, pois PDF é um arquivo muito duro. Mas assim, eu também nunca inseri outro tipo de arquivo nele além do arquivo de ebook comum do kindle (que é o .mobi) e o PDF. Então não tive tantas experiências ruins. A problemática de não ler arquivos .epub nem existe tanto pois há conversores na internet que converte de .epub para .mobi e não perde qualidade. Os problemas eram mais devido a forma como os arquivos foram formatados (as vezes ebooks mal feitos ou PDFs mal diagramados), não foi especificamente de leitura. Ah! E ele NUNCA travou pra mim! Mas eu sempre mantenho poucos arquivos nele (tipo, no máximo uns 10 livros), para justamente não pesa-lo. ;)

      Responder

  • Maria Aparecida
    07 . 01 . 2017

    Parabéns. E muito obrigada por partilhar essa produção de excelente qualidade informativa. E, principalmente, esses sites de baixar livros grátis, não os conhecia. Tudo de bom pra vc!!!!

    Responder

  • Ohara
    Visitar blog
    27 . 07 . 2015

    Tomara que lancem logo o iotaphone, achei a ideia bem bacana!
    O lay novo é lindo, ainda não me adaptei com ele, mais logo me acostumo o/
    bjos

    Responder

  • Thais
    Visitar blog
    17 . 02 . 2015

    Ana, eu tenho um Ipad2 e estou mega tentada em troca-lo por um Mini (que tem quase o mesmo tamanho do Kindle) ou então pegar um reader.
    Como você, também acho MUITO caro os preços de ebook – porque né, papel, impressão de R$25 a R$40 ainda vai, mas digital, como assim R$40 né? Se fosse mais barato ainda, acho que já teríamos uma migração em massa pro uso do digital.

    Obrigada pelas dicas, agora é so escolher :D

    Responder

    • Aninha
      Visitar blog
      18 . 02 . 2015

      @Thais, também já pensei muito em trocar o ipad 2 por um mini de retina, mas eu acabei desistindo pq vejo mtos filmes no iPad e já sou super acostumada com a telinha dele hahaha acho que eu iria estranhar uma tela menos para meus filmes e joguinhos hsuahsus

      Responder


191011