Coração pede arrego

Reflexões

A sensibilidade extrema às vezes te mata. Juro, não estou brincando com isso. Às vezes eu queria ter a habilidade de ser indiferente com diversas coisas, complexas ou supérfluas, tanto faz. Admiro muito quem tem a habilidade de dizer "ah, esqueça" e realmente deixar de lado e não pensar mais nisso. Sério, como consegue?

É quase o clichê do famoso botãozinho "foda-se", que é a mesma coisa que mandar todo mundo tomar naquele lugar e para a aquela outra que te pariu. E isso, meu amigo, é um indício de que você está, de alguma forma, se importando. É o se importar de não se importar e alimentar isso inconscientemente. É fogos de artifício disfarçado de faísca e maquiada com o pó da indiferença. É uma sensibilidade inversa, mas ainda está ali, pronta para explodir a qualquer momento.

fonte da imagem: we♥it

O ponto que eu queria mesmo atingir é como uma pessoa em sã consciência, tem a incrível habilidade de realmente não se importar. Ou melhor, escolher em não se importar. É um total controle de seus sentimentos, ser extremamente racional. É condicionar o seu cérebro a determinar se aquilo merece ou não ter sua atenção, e deixar seu coração de lado. Ser terrivelmente (ou perfeitamente) indiferente, e dar importância a um determinado fato na hora necessária — ou simplesmente deixar de lado — e não sentir absolutamente nada em relação à isso.

Sério, quem sabe fazer isso merece meus parabéns, porque olha…

Veja também...

As consequências de controlar o incontrolável
Sonhos
Profissão blogueiro: Até quando?

5 Comentário(s)

(5 pelo blog e pelo facebook)
  • Keka
    Visitar blog
    30 . 05 . 2012

    Eu me pergunto a mesma coisa, como deixar de se importar? como ligar o F*? Eu não sei… tenho que viver aquilo intensamente, sofrer ou sorrir e por ai em diante. Viver todos os momentos de forma intensa. Só algumas coisas muito especificas eu consigo ligar o foda-se e ponto, mas é muito difícil pra mim.

    Responder

  • Filipe Machado
    Visitar blog
    28 . 05 . 2012

    É bem o que você disse. "Escolher não se importar."
    Digamos que eu sou assim, mais ou menos desse jeitinho que você disse. Bem controlado e racional… Eu não consigo ser intenso e emotivo. Já até tentei, mais er… acho que não deu. Não posso dizer que eu esqueço, porque como sou muito observador em tudo, isso é quase que impossível; mas eu consigo tirar da minha atenção, e "ligar o foda-se", por assim dizer…

    Responder

  • May
    Visitar blog
    25 . 05 . 2012

    É difícil, mas pra certas coisas não dou muita importância não. Já para outras, taco o foda-se e quando estou vendo, já me importei mais do que gostaria. Realmente é muito, muito difícil fazer isso, e eu gostaria muito de não me importar com certas coisas…

    Beijinhos,
    May ;*

    Responder

  • Manu Sampaio
    Visitar blog
    24 . 05 . 2012

    Acho que sou mais ou menos assim. Mas deixo de me importar não por simplesmente ter um coração de pedra e ser fria, mas sim porque eu perco a coragem de agir, sabe? Sofro por dentro, mas não tenho coragem de chorar, quando choro, choro escondido, então fico esperando as outras pessoas agirem.

    Responder

  • Maris
    Visitar blog
    24 . 05 . 2012

    Seu texto veio para mim, descreveu tudo o que estou tentando entender. Eu sou intensa demais para deixar de lado… Na hora sorrio, sozinha eu choro.

    Responder