Madly Luv ~ Since 2007 ~ By Ana Flávia Cador
 
Dec 31, 2011
 

Estilo "8 ou 80"

Reflexões 

Que ano filho duma égua que eu tive viu? Puta que pariu. Pronto, falei, haha. ::rolleyes:: Mil kilos de stress aliviados à base de xingamento. Ah, desculpe-me vai?, não sou santinha e às vezes é bom falar palavrões — só às vezes, haha. O ano passado parece que não foi nadica de nada comparado a este que se passou. E ano que vem, acho que falarei a mesma coisa. Sempre terá obstáculos que a gente terá que passar e quando olhamos para trás percebemos que as dificuldades aumentam gradativamente da maneira que você vai ficando mais velha (como se eu fosse uma idosa, ui, rsrs).

   Ler mais…

Espero que esse novo ano que está por vir também seja "8 ou 80". Não faz sentido viver uma vida sem graça e agitação, hehe. Espero que em 2012 também seja bem agitado para ti, cheio de conquistas e de perdas também, porque querendo ou não, perder é fundamental para ganhar outras coisas no lugar que podem ser mil vezes melhor. ::cool:: Renovação sempre! Feliz Ano novo! ::blush::

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
 
Dec 19, 2011
 

Espaço reservado

Desabafos e Reflexões 

Não sei se posso dizer que ainda me recuperei desse semestre atormentado. Sim, foi o pior semestre da minha vida, mas por outro lado foi o melhor. Logo na primeira semana de agosto veio a enxurrada de mega trabalhos que eu mal sabia que durariam um semestre inteiro para serem feitos, e os que não eram os prazos de entrega eram minúsculos. Os meus limites foram testados e fui ao extremo do meu nervosismo, ansiedade, frustração, raiva. E sem querer contaminei o meu twitter só com reclamações sobre como meus dias estavam péssimos e mal dormidos. E, graças a Deus, esta rotina só voltará em março do ano que vem.

Por outro lado, nessa mesma primeira semana de agosto (re)conheci alguém que seria meu namorado e (chato, enjoado, irritante, implicante, rsrs) amigo. Apesar dos pesares deste semestre, a minha alegria era (e é) a sua presença, conhecendo-o mais e mais e, querendo ou não, conhecendo mais eu mesma como nunca. Descobri que sou uma pessoa difícil de lidar, e meu pavio é mais curto do que eu pensava. Talvez seja a pressão da faculdade, estágio e freelas ao meu tempo, vai saber… ou é a minha verdadeira personalidade (ou não, rs) se aflorando.

Descobri que virei uma pessoa mais reservada do que eu era normalmente — isso inclui a blogosfera, infelizmente. Inclusive, peço desculpas às minhas amigas que me procuraram pelo facebook e twitter, a Lomitcha, a May, a Lilian, a Karine e a , e as outras garotas também. Devo a vocês minhas sinceras desculpas, mas a minha falta de satisfação não foi por mal, e eu não quis ferir ninguém pelo meu silêncio e sumiços brutos. O pouco tempo de folga que eu possuía, eu queria dedicar a outras coisas que não envolvia computador. E, por enquanto, continuarei assim por mais um tempinho.

Me tornei um pouco mais reservada não porque eu me sinta repreendida por algo, ou não tinha o que falar de mim — pelo contrário, eu tenho tanta coisa a dizer, tanto o que descobri, o que senti de novo. Mas talvez seja porque eu não consigo mais ver aquela necessidade de contar tudo que há em mim, aquela ânsia de desabafar algo. Creio que eu escrevia incontrolavelmente para eu mesma me entender, talvez. As palavras praticamente gritavam em minha mente, porém, nestes últimos meses o que escutei foi silêncio. Me silenciei em meu próprio blog, no qual escrevo a quatro anos!, e em meu próprio caderno de desenhos e textos. Tudo foi ficando em branco… Não há voz alguma em minha cabeça gritando falando o que devo fazer, o que devo dizer. Comecei a gostar de guardar aqueles pensamentos e sensações, dos quais só eu sei, e deixa-los ali guardadinhos. É o meu segredo.

Ei ei, não estou dizendo que isso é algo ruim. Pelo contrário, eu vivo — pela primeira vez em muito tempo — vivo da maneira que eu sempre queria viver. O espaço reservado da minha vida que eu tinha deixado de lado por algum motivo agora está sendo ocupado, e agradeço muito a Deus por ter me dado essa grande bênção.

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
23 pages