Madly Luv ~ Since 2007 ~ By Ana Flávia Cador Faça seu login
 
Dec 14, 2012
 

Paradoxo ideal

Reflexões 

Quero sentir o ar, quero sentir o prazer de escutar o sussurro do vento calmo e fresco em meu ouvido. Andar descalça e sentir a terra misturada à areia pinicando levemente as solas dos nossos pés. Abandonar a selva de concreto pelo menos alguns instantes. Andar lado a lado contigo pela estradinha de terra e arrancar algumas folhas e sentir seu cheiro.

Quero compartilhar contigo minha poesia sem sentido e meu olhar com risadas bobas. Pintar as unhas de azul piscina e sorrir para o céu. Passar os dedos sob meus cabelos sem me preocupar com penteados. Deitar no chão sem ter medo de se sujar. Me sentir inteira. Não sentir só a paz e o silêncio à minha volta com você ao meu lado — é escutar o silêncio gritante entre nós. Sentir aquela paz que vem de berço. Não sentir a eterna alegria fugaz. É sentir a nossa efêmera felicidade constante.

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
 
Oct 01, 2012
 

Meus "vinte e poucos"

Reflexões 

Dizem que depois dos vinte o tempo passa mais rápido. Você olha para trás e vê sua infância e adolescência indo embora como um jato, só deixando alguns resquícios de nostalgia. É a fase dos "vinte e poucos" chegando, o começo do resto da sua vida. Tento não pensar na frase "alguns anos atrás eu era feliz e não sabia", já que não tinha nenhuma responsabilidade que eu tenho hoje. E tenho certeza que ano que vem terei o dobro que terei hoje, e o seguinte, o triplo.

Ai que horror, quanto drama, Deus é pai. Meus "vinte e poucos" mal começaram e já estou reclamando deles. Ouço toda hora alguém falando que agora sou uma adulta completa, que agora posso ser presa sem meus pais levarem a culpa, fazer isso, fazer aquilo, blá blá blá, etc etc. Báh! ::stress::

Quando eu tinha meus 16 anos, logo quando abri este blog, me pegava pensando como seria quando tivesse 21 anos. Eu já me via casada, com filhos, com o emprego perfeito, com um corpão bonitão de mulher, com a vida resolvida… Coisas de adolescente. Naquela época eu já achava que os "vinte e poucos" era ser muito velha.

Legalmente adulta. Não me casei (ainda), porém já tenho alguém ao meu lado. Filhos só na fase dos "trinta e poucos" — daqui 10 anos a gente retoma esta conversa —. Emprego perfeito já possuo, e amo o que faço. Meu corpo ainda é igualzinho quando eu tinha 16, e já aceitei o fato que estarei mergulhada no formol e o segurança da boate ainda vai achar que minha ID é falsa até segunda ordem.

Minha vida? Ainda está longe de ser resolvida. Só dei o primeiro passo dos meus "vinte e poucos", oras, ainda tenho muito o que viver. Não sei nada da vida ainda. Quanto mais vivo, menos sei. Tem muito chão pela frente. E isso não é fascinante?

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
23 pages