Madly Luv ~ Since 2007 ~ By Ana Flávia Cador
 
Oct 11, 2009
 

Chega de previsões

Desabafos e Rabiscos Alheios e Reflexões 

Muitas vezes pensei em como sair de situações embaraçosas mesmo antes das mesmas acontecerem, assim como situações perfeitas e especiais. Tantas vezes já conversei comigo no espelho fazendo cara de durona e dizendo poucas e boas imaginado-me na frente de uma pessoa da qual seria destinada todas as injúrias que ensaiei, assim como já falei tantas coisas boas e revelações… Sempre me imagino em diversas situações, como se fossem clipes de músicas dirigidos por mim.

Mesmo com minhas falas premeditadas e com várias situações pré-feitas, eu sei que a vida não deve ser ensaiada, e sim para ser vivida espontaneamente. E ultimamente venho tendo a convicção de que as situações que imagino, muitas nunca irão acontecer. Então, venho pensando que o melhor é deixa-las em meio ao voo. Tantos acontecimentos vêm acontecendo em minha vida, sem que eu ao menos pensasse, estão sendo muito melhores do que se eu um dia tivesse-os imaginado.

Quero aproveitar cada momento, conversa, gesto, sorriso, lágrima, carinho, desapontamento… cada minuto da felicidade que sinto instantaneamente ao estar perto das pessoas que gosto.

15/10 às 20:04
Sim, eu sei que sumi do mundo blogueiro e continuarei sumida um pouco mais. Estou aproveitando quase todo o meu tempo livre para sair de casa com meus amigos, deixando este computador de lado. Descobri que há vida fora das paredes de minha casa, hehe! Até mais… enquanto isso, os comentários foram fechados para evitar o acúmulo.
Beijos,Aninha
 
Palavras-chave:
 
Beijos,Aninha
 
 
Oct 04, 2009
 

Porque é simplesmente deixar acontecer

Rabiscos Alheios e Reflexões e Relacionamentos e Sem Plateia e Sobre Eles 

Não há ninguém que não tenha pensado nisso se quer uma vez na vida: o que que se passa na cebeça daquela pessoa? Ah, quem nos dera ler os pensamentos das pessoas pelo menos por um dia… Calma, eu não quero levar um choque como no filme Do Que as Mulheres Gostam e de repente começar a ler a mente dos homens — na verdade, eu acho que não seria uma coisa muito boa —, mas bem que eu queria saber, só um pouquinho, o que se passa na cabeça deles para eu ter ideia do que eu poderia fazer para não entrar mais em confusão.

Eu não duvido nada, nem um pouco, que eles pensam a mesma coisa. Dizem que nós, mulheres, somos complicadas, confusas, "instáveis"… E eles? São também, não? Engraçado como os papéis se invertem… Enquanto a convicção do que queremos nos consome, vemos eles num impasse — e vice-versa. Muitas vezes, eu quebrava a minha cabeça tentando descobrir o que se passava, até que eu desisti. Percebi que tentar entender o sexo oposto não dá certo, só paranoia.

Acredito que, ao sermos nós mesmas(os), sem medo do que os outros pensarão, mostramos como somos. E não estou nem ligando mais se gostaram ou não do meu jeito — e tenho certeza que muitos não vão com a minha cara por causa da minha maneira de me vestir, dos micos que pago ou por minhas constantes crises de riso, achando até que sou uma "boba alegre". Pelo menos eu deixei de ser uma pessoa anti-social — está bem, não é para tanto, mas eu tinha dificuldade em fazer amizade etc —, agora só basta ver se minha teoria dará certo.

Enfim, acredito que somente assim, agindo sem medo e preconceito, as pessoas realmente possam conhecer umas às outras e, consequentemente, seus pensamentos e opiniões também são impostas. Assim, ninguém fica submerso em si mesmo. Desse jeito nem precisaremos de um "choque" para saber o que eles pensam. Simplesmente tem que deixar acontecer a amizade, o amor etc… E mesmo assim, ainda acho não tem como completamente entender eles, assim como eles não conseguem inteiramente entender nós, mulheres. É um mistério… e o engraçado é que um depende tanto do outro, que chega até ser estranho — e, ao mesmo tempo, tão natural.

Beijos,Aninha
 
 
Beijos,Aninha
 
23 pages