Madly Luv - O mLuv é um blog pessoal no qual aborda vários assuntos como design, músicas, literatura, arte, televisão etc. Desenvolvido e mantido por Ana Flávia Cador.

As consequências de controlar o incontrolável

Pessoalidades

Sim, eu realmente sumi, e sumi por muito tempo daqui… praticamente dois meses! Primeiramente, eu queria pedir desculpas pelo sumiço não avisado. Mas sabe quando você se sente saturado de tanta coisa que acontece na sua vida, e o que você mais queria era se enterrar debaixo das cobertas e fazer mais nada da sua vida? Foi mais ou menos o que aconteceu comigo, hehe. Muitas coisas aconteceram em efeito dominó, que me fez tomar a decisão de me afastar daqui um pouco e cuidar mais de mim.

Quando aprendi a gostar de mim

` ppimm `

Mas por que isso Ana? Muitas coisas aconteceram na minha vida que me deixaram a um nível de estresse muito grande. Não sei se você sabe, mas sou uma pessoa muito ansiosa — consequentemente, muitas vezes sofro por antecipação. Inicialmente foi por causa do trabalho, do qual eu tive que largar todos os meus freelas normais para trabalhar num projeto do meu emprego que eu trouxe para casa. E, devido ao prazo muito curto, por eu mesma me exigir demais, ser muito nervosa e, ainda por cima, vendo tudo o que eu estava deixando de fazer várias coisas que eu queria fazer e estava preocupada, acabei ficando doente. Minha mãe diz que é bobeira da minha parte, que foi apenas coincidência, que estamos na época mesmo de pegar uma gripe. Mas gente, uma gripe misturada com dores de estômago e sintomas de febre acima de 38,5°, dores nas juntas e reinando no trono do banheiro milhares de vezes ao dia, só pode ser o corpo pedindo arrego. Ou eu sou uma pessoa muito, mas muito azarada por pegar mais de uma doença ao mesmo tempo.

E não, eu não fui ao médico; pode me bater, porém, sobrevivi, haha. Depois de um dia inteiro achando que eu ia ver à luz e uma madrugada meio alucinógena devido às dores do corpo, acordei no dia seguinte "bem", mas eu achei melhor não ir trabalhar. E, graças a Deus, fui melhorando aos pouquinhos no decorrer dos dias. E ainda não sei o que eu tive (e acho que nunca saberei). No meio deste tempo, diante de tanto trabalho e dos problemas de saúde, eu estava com uma preocupação muito grande na minha cabeça que estava se agravando desde janeiro. Uma decisão que eu acreditava que precisava ser tomada rapidamente (maldita ansiedade).

Sabe aquela decisão que você sabe que vai mudar todo o rumo de sua vida? Uma decisão que envolve família, uma nova vida a dois e tentar uma vida fora do país — que me gerava várias dúvidas e medo pelo o que poderia acontecer se alguém fosse para lá. E isso estava me deixando louca, corroendo meu estômago, me deixando nervosa com coisas mínimas e corriqueiras da vida, a ponto de brigar por coisas ridículas.

Acredito que esta "decisão a ser tomada" também foi um fator para o agravamento de meu estado de saúde e, consequentemente, tomar decisões precipitadas. Meu relacionamento de 4 anos quase chegou ao fim por minhas preocupações e paranóias — e quase perdi a pessoa que mais amo por causa de problemas meus que eu não sabia como lidar. Eu não estava pensando em mim, no que eu tenho agora e no que eu poderia fazer neste momento ao lado e por quem amo. Eu estava pensando em todas as coisas que poderiam ou não acontecer no futuro! Eu pensava em possibilidades e impossibilidades, cálculos de coisas incalculáveis. Pensava sempre no pior, já sofrendo em uma situação que provavelmente nunca acontecerá.

Foi necessário de um solavanco na minha vida para eu entender que não há como controlar o incontrolável, todo e qualquer movimento de uma vida futura. Eu precisei sofrer para entender que não posso tomar uma decisão que nem deve ser para agora, que talvez nem deva ser tomada, mas sim simplesmente acontecer. Somente o tempo e Deus devem dizer isso para mim, e eu precisava acalmar o meu coração. Eu precisava aprender a deixar as coisas acontecerem. Nem tudo na vida precisa ser decidido, pois será o percurso que dirá.

Depois de tudo isso, eu decidi cuidar mais de mim. Me distanciei do blog porque eu escolhi não postar. O que antes, no primeiro mês, foi por falta tempo, no segundo foi por opção. Eu decidi não postar nada porque eu ainda não me sentia preparada para isso, porque eu primeiro eu precisava voltar a ficar segura de mim. E foi isso o que eu fiz. Gastei o meu tempo livre que eu poderia ter postado no Madly Luv para me dedicar ao meu bem estar. Investi num tempo só para mim. Fiz o que mais tem me feito bem ultimamente. Dormi um pouco mais, diminuí o fluxo de trabalho, não me permitia preocupar com coisas além do normal (essa foi a parte mais difícil) e fiquei um pouco mais ao lado de quem amo, da minha família, das minhas babês caninas — que no meio deste tumulto da minha vida uma delas se foi e isso foi outro baque que abalou minhas estruturas, e foi mais um motivo para eu me distanciar das coisas e tentar ficar mais centrada.

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio, e eis que a verdade se revela”

— Albert Einstein

Eu sabia que, depois deste tempo dedicado a mim, eu estaria preparada para voltar com o blog e trazer mais novidades e coisas boas. Estou até empolgada para gravar vídeo, coisa que é bem raro por aqui, haha. Conheci artistas incríveis que pretendo compartilhar todos com você! Vi várias séries, alguns filmes, e também quero resenhar alguns livros qu li e contar tudo para ti. Ninguém merece energia negativa (já bastava isso só para mim), muito menos blogar por obrigação. Eu precisava me sentir realmente bem para postar. E agora aqui estou, com várias inspirações e blogando com muitamô! ::love::

Veja também...

Uma faxina na casa: 10 anos de Madly Luv
Não nasci para ser "blogueira"
Realizações de 2016 e pedidos para 2017
¬¬ zZz x_x o_O ^^ T_T ;D :x :S :P ::teary:: ::sweat:: ::stress:: ::rolleyes:: ::love:: ::cool:: ::blush:: ::attention:: ::angry:: :) :( ._. *o* *O_O


41 Comentário(s)

(41 pelo blog e pelo facebook)
  • Tatiana Nais
    Visitar blog
    21 . 06 . 2015

    Li esse post e parece exatamente o tipo de coisa que eu escreveria, porque já passei por situações assim muitas vezes. Também sou ansiosa e fico pensando depois nos "e se" e tentando decidir coisas que nem sei se vão acontecer. Resultado? Uma imunidade baixa que constantemente me deixa doente, gastrite nervosa e uma enxaqueca daquelas. Tô fazendo pilates 4 vezes por semana e fazendo tratamento com antidepressivos e relaxantes pra ver se ajuda, mas tem épocas que ainda assim fica tudo difícil demais. A ansiedade dá uma sensação bem ruim as vezes, né? Espero que você esteja se sentindo melhor. Um beijo!

    Responder

  • Ohara
    13 . 05 . 2015

    Texto muito lindo, legal e interessante.
    Realmente, energias negativas é a treva, eu particularmente não suporto sinceramente, energia negativa é uma praga mesmo.
    vc tem canal no youtube ou vai criar agora?
    pq eu vi vc falando numa parte de gravar videos, então gostaria de saber&
    bjsssssssssssssssss e muitas energias positivas e nada de energias negativas! rsrs

    Responder


1456