Madly Luv ❀ com - O Madly Luv é um blog pessoal no qual aborda vários assuntos como design, músicas, literatura, arte, televisão etc. Desenvolvido e mantido por Ana Flávia Cador.
Cronograma Capilar por Ana Flávia Cador - madlyluv.com
Cronograma Capilar: Os mitos e verdades sobre ele e dicas de produtos
Madeixas
Quando aprendi a gostar de mim
As consequências de controlar o incontrolável
Pessoalidades
Vida de freelancer - portfolio - por madlyluv.com
Vida de Freelancer: Como ter um portfólio perfeito
Design
22 . 08 . 15

Vida de Freelancer: Como ter um portfólio perfeito

Por Aninha

Um portfolio online é não só um dever de um designer. É como uma obrigação. E uma das maiores dúvidas que eu tinha quando comecei a trabalhar como freelancer era como montar um portfólio para mim. Por mais simples que imaginamos que pareça, sempre há algum detalhe crucial que esquecemos de mencionar, ou então falamos e acrescentamos informações demais, podendo confundir o cliente ou fazendo-o desinteressar pelo serviço. Segue abaixo algumas dicas que separei para você arrasar no seu portfólio!

Quem é você?

Comente sobre suas habilidades, onde você estudou, o que você cursou e onde você trabalhou. Falar um pouco sobre você não fará mal algum, mas na medida certa. Você pode dizer como se interessou pela área, sua idade e preferências relacionadas à sua área de atuação. Ninguém precisa saber que você ama cachorros, ou que você vai para praia nas horas vagas. Um portfólio não é um blog. Sempre seja direto na sua descrição, porém, não deixando de mostrar a sua personalidade e no que você faz de melhor. O cliente busca uma coisa em comum contigo, e será pelo seu estilo de trabalho e talento que chamará a atenção dele.

Determine como o portfólio irá "nascer"

Caso você mesmo queira fazer o layout de seu portfólio, tente encarar que este projeto é para um cliente, e não para você. Ser perfeccionista é sofrer, haha, e fazer um projeto próprio como um portfólio (assim como o layout do próprio blog) é muito mais cansativo, trabalhoso e exigente do que os projetos de nossos clientes. O motivo? Nunca estamos satisfeitos com nós mesmos. Acalme-se, relaxe, respire e navegue pela internet vendo outros portfólios.

Vida de freelancer - portfolio - por madlyluv.com

Ainda sem noção de como criar o layout? Desenhe! É praticando, testando possibilidades e jogando várias ideias no papel que a criatividade e a inspiração aparece. No design isso é chamado de brainstorming. (Imagem: Picjumbo)

Se você não é muito amante da programação, sabe aquele amigo seu que é craque dos HTML da vida? Não há nada de errado em pedir uma forcinha e contratar ele para fazer uma parte do seu projeto. Isso não vai desmerecer o seu talento profissional diante de seus clientes, só provará que você sabe trabalhar em equipe. Vai que rola um projeto conjunto depois? Isso é mais comum do que imagina é perfeito para adquirir experiência.

Se está sem tempo, não tem problema em utilizar um tema base, desde que você utilize-o ao seu favor. Torne-o único. Existem vários templates para portfólio lindíssimos que dá para personalizar sem perder o ar de profissional. O ThemeForest por exemplo é um ótimo site que contém templates lindos!

Outra alternativa legal para quem não tem tempo para um layout, são as redes sociais. São eficientes, permitem que você tenha seguidores e tem um plus: você é encontrado facilmente. Você encontra vários profissionais talentosos em um só lugar, e muitas empresas procuram possíveis funcionários, bem como várias pessoas em busca do profissional ideal para projeto.

Redes sociais de design - por madlyluv.com
Sobre as redes sociais

Seja seletivo

Você não precisa mostrar todos os seus trabalhos, até porque chegará num ponto que isso ficará monótono e dará a impressão que você só faz projeto igual. Ainda mais quando se trata do ramo de web. Isso acontece muito porque é super comum um cliente pedir um trabalho semelhante ao que você fez para outra pessoa. E também sempre vai ter um trabalho que você não vai gostar muito do resultado final porque "o cliente quis assim" e você não teve muito o que fugir do que foi pedido. É normal acontecer isso. É por isso que você precisa ser uma pessoa mais seletiva no que deve colocar no portfólio. Sempre haverá um ou outro projeto que você fez algo de diferente, que teve mais liberdade para criar e fugir do óbvio. O objetivo de um portfólio é mostrar o que você tem de melhor e mostrar as suas habilidades.

Ninguém vai ter paciência para ver 200 trabalhos. Você pode se orgulhar disso — significa que você teve vários clientes, e isso é ótimo! — mas isso não irá trazer benefício nenhum àquela pessoa que acabou de entrar no seu portfólio. Isso só dará a impressão que você é uma máquina de layouts e vai ofuscar os trabalhos mais criativos que determinaria o envio do e-mail de orçamento.

Tenha um domínio próprio e um e-mail de fácil acesso

Tem um domínio registrado para seu portfólio é muito importante. Demonstra profissionalismo, é uma coisa que não tem erro e é barata. Um domínio registrado tem muito mais peso, e isso equivale para o e-mail também. E tenha um e-mail que é fácil de ser lembrado.

Antes um contato@meuportfolio.com do que fulanxdetal.designs123@gmail.com, haha.

Utilize mockups para seus trabalhos

Trabalho bonito é trabalho aplicado, e sentir a sensação dele funcionando é lindo. Para isso, existem os mockups, que são elementos gráficos que simulam a realidade onde o projeto é aplicado. Use e abuse deles! Aplique marcas em mockups de cartão de visita, canecas, camisetas; layouts em mockups de computadores, telefones e tablets. Isso enriquece o trabalho e dá a noção de como ele é ao vivo e a cores. Bem melhor do que um simples print, né?

Vida de freelancer - exemplo de mockup - por madlyluv.com

Um mockup faz toda a diferença para apresentar um trabalho! Veja só como ficou o layout do Madly Luv aplicado em um. Lindo demais né? Este mockup pertence ao pacote Infinity Bundle, do Original Mockups.

O site Original Mockups tem os mockups mais lindos da internet! Por ser tão realistas e com uma diversidade absurda, acho que o precinho dos pacotes bem amigo para o tanto de opções (e há alguns mockups grátis que também são lindíssimos). Uma dica marota: rache com algum amigo que fica mais baratinho. ::cool::

"Não tenho projetos o suficiente!" Calma que há solução

É muito comum não ter projetos a ser apresentados logo no início da carreira. Mas como chamar cliente se você não tem nenhum? Fazendo projetos fictícios e pessoais. Mostre o layout que você fez para o seu próprio blog, uma marca que você acredita que seria mais bacana para tal empresa, uma releitura da capa de seu livro preferido, uma ilustração que você fez num dia de bobeira, um trabalho que você fez para a faculdade… há infinitas possibilidades de exercitar sua criatividade e mostrar para os seus futuros clientes do que você é capaz.

Conte o seu processo criativo

Explicar sobre como você chegou na solução final daquele projeto é muito bacana para as pessoas conseguirem visualizar o conceito. Mostra que você tem domínio naquilo que você faz, que você não fez aquilo só porque é bonitinho. Isso é um diferencial.

Explique sua forma de trabalho

É legal expor em uma parte do seu portfólio a sua metodologia de trabalho. Explique de maneira bem breve as etapas principais do projeto, formas de pagamento e termos básicos de serviço. Isso pode sanar várias dúvidas do cliente antes mesmo dele entrar em contato contigo. Ele perceberá que você é uma pessoa organizada e profissional, já sabendo exatamente o que você fará por ele.


Espero que estas dicas tenha ajudado quem estava com dúvidas sobre como ter um bom portfólio! E ai, você já tem o seu? Comente abaixo com o link do seu portfólio. Ou então, liste os que você mais gostou que achou pela internet! Vou adorar conhecer. ::love::

tempos-dificeis
Vida de Freelancer: Tempos difíceis sempre acontecem
Design
trabalhando-contrato-1
Vida de freelancer: Trabalhando com contrato
Design
vida-freela-autovalorizacao
Vida de freelancer: Emprego + Freelas, Honestidade e Autovalorização
Design
11 . 08 . 15

Cronograma Capilar: Os mitos e verdades sobre ele e dicas de produtos

Por Aninha

Lembra de quando eu fiz um post falando sobre como manter a saúde dos fios através da técnica low-poo? Pois bem, agora que você já sabe das dicas de componentes que devemos evitar nos shampoos e condicionadores, o post de hoje é sobre tratamentos que vão além de lavar e condicionar os fios. São tratamentos que envolve processo de reposição de massa, de oleosidade natural e de hidratação dos fios — dos quais, o conjunto de cada tipo de tratamento resume-se ao cronograma capilar.

Eu quero muito frisar que não sou especialista no assunto, todas estas informações reunidas aqui é fruto de meses pesquisando na internet e estudando para benefício próprio em busca de cuidados mais saudáveis e menos agressivos às minhas madeixas. Peço que, caso tenha alguma informação que possa ser acrescentada a este post (ou corrigida), é super bem-vinda. Durante este post colocarei vários links úteis que me ajudaram a cria-lo, bem como na minha pesquisa diária sobre o tema.

Cronograma Capilar por Ana Flávia Cador - madlyluv.com

Foto por Noelle Buske

O que é o cronograma capilar?

O cronograma capilar é uma agendinha que você intercala hidratações, com nutrição e/ou umectação e reconstrução para manter (ou ajudar a recuperar visivelmente) a saúde dos fios. Confesso que na pesquisa para este eu não encontrei uma fonte confiável para lhe dizer quando e quem criou o cronograma, mas vou contar um pouco sobre ele e sobre as polêmicas (e esclarece-las) que rondam sobre esta rotina de cuidados.

O cronograma é necessário?

A exposição ao vento, Sol, mudanças climáticas e nas próprias lavagens o cabelo vai perdendo sua força naturalmente com o tempo. E, se isso acontece forma natural, imagina isso com cabelos com química? A única diferença entre cabelos virgens, lisos, crespos, ondulados ou que receberam algum tipo de química é a necessidade. É notável que um cabelo virgem não precisa utilizar máscaras de tratamento sempre tanto quanto um cabelo com química precisa. Uma vez que o fio foi danificado com coloração, alisamento ou descoloração, a estrutura do fio foi mudada permanentemente. Uma vez danificada, jamais volta ao estado virgem, inclusive na cor natural. É por isso que precisa de cuidado constante, para alguns cabelos mais intenso, para outros menos intenso. Cada cabelo, uma sentença. É por isso que é tão importante entendermos o nosso cabelo. Só a gente (ou um tricologista, profissional responsável pela saúde dos cabelos da raiz às pontas) pode descobrir o que nosso cabelo realmente precisa e o que ele está passando.

O que cada fase do cronograma representa?

Abaixo vou explicar um catiquinho as fases do cronograma e como é difundido o nome de cada uma, bem como quando identificar a falta de cada fase, e também da importância de cada uma. ^^

Hidratação: resposição de água

Água é a base de tudo, é a base da vida, e isso não é diferente em nosso cabelo. Hidratação é a fase que mais precisa ser feita, e deve ser aplicada antes de qualquer outra no ciclo do cronograma. A reposição de água (dai que vem a palavra hidro) dos fios é fundamental, pois, sem ela, nenhuma reposição de lipídios ou de massa consegue se fixar nos fios por muito tempo. E, além de segurar outros componentes da fase do cronograma, a água nos fios dá uma elasticidade ao fio, deixando-o mais forte e difícil de quebrar.

  • Componentes hidratantes principais: extratos botânicos; bepantol ( panthenol ou d-pantenol); babosa (aloe vera); mel 100% puro (orgânico, aqueles que compramos em feiras ou em lojas de projetos naturais); glicerina; silicones; sacarose e derivados de açúcar.
  • A falta de hidratação é: fio opaco, sem brilho; ressecado; embarança facilmente; armado.
  • Qual a frequência? A hidratação pode ser feita sempre que quiser, desde que tenha um intervalo de uma lavagem sim, outra não (girando em média de, no mínimo, 2 ou 3 dias).

Nutrição: reposição de lipídios

Antes de imaginar que repondo oleosidade nos fios os deixarão sebosos, saiba que isso é mentira, hehe. A função dos lipídeos é garantir a oleosidade natural, deixa-la controlada para formar (assim como as glândulas sebáceas de nosso couro cabeludo) uma camada protetora aos fios. Entretanto, sabemos que óleo não interage com a água — e é por isso que esta fase é a forma de manter a hidratação nos cabelos (fonte). Essa camada protetora promovida pela oleosidade deixa as cutículas mais alinhadas, que dão um brilho saudável aos cabelos. Já começou a perceber como uma fase pode depender da outra?

Não vai achando que qualquer óleo de cozinha vai te salvar, muito pelo contrário — até porque é misturado com antioxidantes e dentre outras coisas para ficar refinado e ter um prazo de validade maior, acabando perdendo quase todas as suas propriedades. Os melhores óleos são aqueles 100% naturais, de origem vegetal e prensados a frio.

  • Componentes nutritivos principais: óleos vegetais 100% naturais como o óleo de coco e azeite de oliva. Também tem o óleo de rícino/mamona, óleo de argan, óleo de ojon, macadâmia, uva, palma (vulgo azeite de dendê)… e manteigas vegetais como a manteiga de abacate, de karitê, murumuru etc.
  • A falta de oleosidade é: fio desalinhado; cabelo amassando facilmente; frizz; cabelo poroso.
  • Qual a frequência? A não ser que seu cabelo perde a oleosidade com muita facilidade, como acontece facilmente nos cabelos ondulados a crespos devido à estrutura do fio (em formato de ondinhas) dificultar que a oleosidade se distribua até as pontas, a reposição de lipídeos pode ser feita cerca de uma vez por semana. Se fizer com a mesma frequência que uma hidratação para cabelos que geram uma oleosidade com mais intensidade, aí sim você fica com cabelos sebosos porque será óleo demais, hehe.
Umectação: O que é?

Reconstrução: reposição de massa

A composição do fio de cabelo é basicamente carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio e enxofre — dos quais, em conjunto, formam uma proteína chamada queratina que representa 85% da composição do cabelo, completado por 12% de água e 3% de lipídios (fonte). A fase de reposição de massa é a fase mais importante do cronograma e merece uma atenção especial pois é a ultima fase e confere a base de toda a estrutura dos fios. Tal fase é responsável por devolver a proteína aos fios temporariamente e fortalecer sua estrutura (fonte).

  • Componentes reconstrutores principais: queratina/keratina hidrolisada; aminoácidos (que formam as cadeias proteicas) como: arginina, alanina, serina, prolina, valina, treonina, cisteína e isoleucina; colágeno; proteína hidrolisada do trigo.
  • A falta de massa é: Cabelo mais fino do que foi originalmente; ralo; muito quebradiço; com pontas espigadas; fios elásticos (com aspecto de chiclete).
  • Qual a frequência? Para cabelos saudáveis, pode ser feito uma reposição de massa ao mês, ou só quando achar necessário (depois de lavar os cabelos chapeados ou com babyliss, por exemplo); Para cabelos com química (como progressiva, coloração etc), a cada 15 dias. E cabelos bem maltratados cerca de 1 vez por semana até quando notar uma melhora significativa da estrutura do cabelo.

Os mitos que rondam sobre o Cronograma

Mesmo com técnicas menos agressivas de lavagens dos fios como o low-poo — que busca reduzir a perda de componentes naturais dos cabelos eliminando o uso de produtos com substâncias mais agressivas — é fato que nenhuma técnica evita totalmente 100% a perda, assim como nenhuma técnica promete 100% uma recuperação dos fios. E é isso que causa polêmica em cima do cronograma capilar, pois, quem é adepto à técnica sem muito conhecimento sobre o que está aderindo, acredita e espalha aos quatro ventos que os fios irão se regenerar, como se a técnica fosse a salvadora da pátria. O que não é verdade e explicarei o porquê.

O que acontece é que muitos esquecem do que aprendemos lá na escola: o fio de cabelo é um tecido morto (saiba mais aqui e aqui). Como eu já disse agora há pouco, o fio é composto por 85% de queratina, ou seja, é praticamente proteína pura e, por isso, incapaz de se regenerar. Não há células "vivas" ali, somente cadeias de proteínas e alguns outros componentes dos quais já citei. Na realidade não há fase de "reconstrução", muito menos fase de "nutrição", já que o fio não possui nenhum componente bioativo para poder se regenerar e não "come" nada para se nutrir. Não sei se notou ao longo deste post, mas em nenhuma explicação de cada fase do cronograma acima citei estes termos errôneos a não ser no nome dado popularmente como título, seguido com o seu real propósito (reposição de lipídios e de massa). Acredito que o único nome correto seja hidratação, pois o fio realmente aloja as moléculas de água, devolvendo elasticidade natural e tudo aquilo que já citei em tal fase.

Como é na realidade as fases de "nutrição" e "reconstrução"?

"Embora o cabelo seja um tecido morto, como as unhas, ele guarda em sua estrutura física e química um acurado registro de tudo que é ingerido ou aplicado externamente, revelando o que comemos, a que produtos tóxicos (poluição, metais pesados e tóxicos) a quem somos expostos, onde moramos, nosso estilo de vida e nossos hábitos."Fonte

Apesar dele não ser "vivo" e é incapaz de se regenerar, não significa que o cabelo seja insensível ao que depositamos sobre ele. Imagina uma blusa: não concorda comigo que ela fica muito mais macia se você acrescenta amaciante ao lavar? E, se lavar ela muitas e muitas vezes, com o tempo ela não fica esgarçada ou corre o risco de perder um pouco de sua cor e qualidade? Agora, uma última pergunta: a blusa é um ser vivo? Não, e isso não significa que ela não possa ser bem cuidada. A história de nosso cabelo é parecida. Se o cabelo fosse tão indestrutível não existira cabelo poroso, cabelo malcuidado, sem brilho, quebradiço. Se tais danos podem acontecer, trata-los também pode amenizar o mal causado.

O que aprendemos com tudo isso?

Podemos concluir que o cronograma capilar pode melhorar o aspecto do cabelo, e tem uma função de manter o fio mais saudável visivelmente até na medida do possível. O que está errado no cronograma são os nomes impostos em cada fase, e que, por hábito e por imposição do mercado, usamos estes nomes para definir cada uma das fases.

Como já disse, eu procurei saber quem desenvolveu essa técnica e não consegui achar uma fonte legal que poderia me dizer quem criou. Imagino que seja uma técnica que tenha sido passada de boca em boca, de salão em salão para chamar a atenção de clientela para ganhar mais dinheiro com tratamentos caríssimos. Mas dá para fazer um tratamento bem em conta com produtos que encontramos em perfumarias!

Ok Ana, mas como monto o meu cronograma?

Você precisa saber basicamente que, para iniciar os cuidados diários, uma hidratação e uma reposição de oleosidade é melhor vir primeiro do que a fase de reposição de massa, para esta última ser sustentada por mais tempo. E, com o tempo, você vai fazendo a sua rotina diária com o que seu cabelo for precisando. Expliquei no início deste post (na parte sobre cada fase) como identificar a falta de cada item, bem como a média de frequência para se ter uma rotina. Agora é o seu papel saber o que você mais precisa nos cuidados de seu cabelitcho.

Por que agendinhas prontas achadas na internet não são legais?

Tem como manter os cuidados de forma baratinha?

Outra coisa que me dá muita raiva dos blogs de beleza é impor mil e um produtos que são caríssimos. No mercado atualmente há muitas máscaras que possuem componentes que fazem parte das 3 fases, e não há nada de errado em usar apenas uma se sentimos que ela cumpre o papel muito bem. Por outro lado, há cremes que possuem uma estrutura tão básica que, ao batizar com ingredientes específicos de cada fase, podem ser usados de base para todo o cronograma. E tudo isso baratinho!

Dica de produtos cronograma capilar - por Ana Flávia Cador - madlyluv.com

Esse cronograma baratinho com os produtos acima capaz que você até já conhece, mas eu não me canso de apresenta-lo porque é barato, fácil e eficiente. O Yamasterol, da marca Yamá, é muito baratinho e rende uma vida, além de ser fácil de encontrar. Você encontra em perfumarias e farmácias por menos de R$12 o galão de 900g. Eu dou preferência para o Yamasterol clássico (o de babosa e d-pantenol) pois ele é bem básico em sua composição, é livre de silicone, óleo e proteínas, e desta forma ele pode ser batizado e adaptado para qualquer fase do cronograma sem se preocupar se a fórmula dele vai interferir em algo.

Como usar Yamasterol no cronograma

Cuidar é amar ♥

O fator mais importante de tudo isso é você conhecer o seu cabelo e entender como ele pode ficar melhor e com aspecto mais forte para suportar a luta diária dos fios contra às ações da natureza e das possíveis químicas. Aproveita esta oportunidade do cronograma para se conhecer melhor, impor suas próprias limitações e suas próprias necessidades — e amar o seu cabelo. Sem drama nem neura. Mas só porque os fios não se regeneram, não significa que temos que deixar de cuidar, né? E isso significa que o cronograma seja inútil? Acredito que não. Até porque, se há alguma forma de melhorar algo, é isso que exatamente queremos, certo? Cuidar é amar. ::blush::

E você? Já conhecia o cronograma capilar? Conhecia os mitos que rondam sobre ele? Se você já aderiu à rotina de cuidados, enxergou resultados? Conte-me!


Este post não foi patrocinado pela(s) marca(s) citada(s) acima.
O conteúdo foi escrito por livre e espontânea vontade e com sinceridade sobre o assunto! ;)

Ruivices e Low-poo - Ana Flávia Cador - madlyluv.com
Ruivices e Low-poo: Como manter a cor e saúde dos fios sem sofrimento
Madeixas
ruivices-igora-com-ckamura-7
Ruivices: Guia básico de Colorimetria para iniciantes
Madeixas
pintando-raiz-tonalizando-keratoncobre-11
Ruivices: Primeira experiência de retocar raiz, novas revelações e desafios cabelísticos
Madeixas
Página 1 de 218
12345... 218››