King's Cross + Tour completo pelos Studios de Harry Potter
Tudo sobre minha Nikon D3200 e dicas de lentes
Manual da Henna: uma alternativa natural, saudável e barata para ter cabelos ruivos

Dica de série: Anne with an E, da Netflix

TV e Cinema

Com apenas sete episódios, a série Anne with an E ganhou meu coração de uma forma muito encantadora e simples. E não pude deixar de comentar por aqui no blog (sem spoilers, claro), pois, espero muito que Anne ganhe o seu coração também. ::love::

Nome: Anne with an E
Criação: Moira Walley-Beckett
Duração: 45min
Genero: Drama
Ano: 2017
Classificacao:
Sinopse: Depois de treze anos sofrendo no sistema de assistência social, a orfã Anne (Amybeth McNulty) é mandada para morar com um casal de irmãos, Marilla (Geraldine James) e Matthew (R. H. Thomson). Munida de sua imaginação e de seu intelecto, a pequena Anne vai transformar a vida de sua família adotiva e da cidade que lhe abrigou, lutando pela sua aceitação e pelo seu lugar no mundo.

Ao perder os pais quando ainda era bebêzinha, a personagem ficou de pinga-pinga entre várias famílias, principalmente para cuidar de outras crianças como empregada, além de se virar sozinha diversas vezes em sua vida (e, consequentemente exercitando sua esperteza). Entre abusos, descasos e vários atos de bullying cometidos a ela ao longo de sua vida por ser diferente e, veja bem, por ser ruivinha (que era considerado "estranho" na época), Anne tem a sua positividade, gosto pela leitura e uma incrível imaginação (onde ela sempre é uma grande princesa heroína) como um refúgio perfeito para espantar seu sofrimento e traumas.

Anne With An E Netflix promo poster

Imagem promocional (lindíssima!). Fonte: Netflix.

A história se passa na comunidade de Avonlea (fictícia) na Ilha do Príncipe Eduardo, no Canadá, por volta da década de 1890. Os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert já estavam com uma idade avançada e buscavam por um garoto órfão para adotar e ajudar nos afazeres da fazenda Green Gables. Mas, por algum engano, Anne veio no lugar. A princípio, Marilla fica extremamente irritada e quer devolver Anne ao orfanato, como se fosse um objeto a ser descartado, mas Anne faz de tudo para provar que tudo o que um garoto pode fazer, ela também pode!

A veemência de Anne em provar seu valor e de ser aceita no seu novo lar que, a princípio parece ser irritante, acaba sendo encantador e singular. Com o passar dos episódios, por Anne ser tagarela e bastante expressiva em suas emoções, sem querer ela acaba levantando questionamentos entre os personagens que para a época ainda eram muito tabus. Dentre estes questionamento estão o empoderamento feminino, a independência da mulher, menstruação e relacionamentos homoafetivos. Anne é, literalmente, uma garota além de seu tempo, como a própria música de abertura diz — que fiquei apaixonada, diga-se de passagem! ::love:: Escute abaixo.

Teve alguns detalhes da série que não me agradaram muito. Um deles é o tempo de duração dos episódios. Por ser uma série bem leve, achei que a Netflix pecou em trazer episódios longos de 45min, sendo o piloto com 1h30 de duração que levou uma eternidade para acabar. Acredito que seria bem melhor se fossem de apenas 20min. A série não é paradona, mas ela é leve demais para ser tratada em quase 1h. Outro ponto que não gostei foi do pequeno indício de romance entre Anne e Gilbert (não é spoiler, é mostrado no trailer abaixo, rs). Confesso que eu queria muito tentar deixar de lado, pois quem nunca teve um crush aos 12-13 anos de idade, não é meixmo? Mas com toda essa pegada lúdica e infantil achei desnecessário incluir um romancinho na história de Anne, mesmo ele sendo inocente. Talvez seria melhor deixar para uma próxima temporada. Foram estes dois detalhes que me fizeram tirar uma estrela da classificação.

Eu nem preciso dizer o quanto me apaixonei pelos personagens mirins da série. Amybeth McNulty (que interpreta Anne) foi simplesmente fantástica em sua atuação! Achei ela bastante espontânea e nada forçada, e super vejo um futuro para ela depois de Anne. Assim também vejo com os outros personagens mirins mais ativos na série, como a Dalila Bela (que faz a Diana, melhor amiga de Anne), o Lucas Zumann (que faz Gilbert, interesse romântico de Anne) e o fofo Aymeric Jett Montaz (que faz o francezinho Jerry, amigo de Anne e ajudante dos Cuthbert em Green Gables).

A fotografia da série é INCRÍVEL e muito bem ambientada. Os personagens são muito bem consolidados e complexos — mesmo os personagens mais chatos você acaba gostando bastante! A série é baseada no livro Anne de Green Gables, da escritora canadense Lucy Maud Montgomery, um clássico infantil canadense publicado em 1908. Ao longo dos anos foram publicados vários livros para contar toda a trajetória de vida da Anne desde os seus 11 até os 40. Não garanto que a série é fiel ao livro, mas pelo enredo vi que há muitas semelhanças, principalmente no quesito de ambientação. Só sei que quero mais Anne, porque história é que não falta! A Netflix se dedicou muito para deixar a produção impecável e é um amorzinho para ver e passar tempo nestas férias — e ao mesmo tempo botar a cachola para funcionar para os diversos questionamentos sociais que a série traz.

E você? Já viu Anne With an E? O que você achou?

Comente este post!



King's Cross + Tour completo pelos Studios de Harry Potter
19

Chegou o post que eu mais esperava publicar aqui no blog nos últimos meses: a minha visita à Warner Bros. Studio Tour — The Making of Harry Potter. Quero aproveitar que semana passada (26/06) completou 20 anos de publicação de Harry Potter e compartilhar contigo a sensação de ter novamente 10 anos de idade, sentir […]

Almoço no Las Nenas Café Bistrô (Goiânia)
21

Acho que eu nunca comentei por aqui sobre lugares bacanas aqui em Goiânia, não é mesmo? Pois bem, hoje que apresentar para ti um cantinho fofo e aconchegante chamado Las Nenas ("as meninas" em espanhol), um café bistrô situado no Setor Marista, região Sul de Goiânia. Quando entrei pela primeira vez pensei "Eu preciso fotografar […]

Londres: Fim de tarde em Notting Hill e primeira vez na Starbucks
19

Creio que o local que ninguém deve deixar de ir para quando se viaja para Londres é visitar um lugar chamado Notting Hill (com o perdão trocadilho, haha). Quando eu fui com minhas amigas infelizmente as lojinhas estavam prestes a fechar pois era cerca de 17h30, mas a parte legal é que estava mais vazio […]

As ilustrações de Renata Soares
19

Tive o prazer de conhecer mais de perto o trabalho da Rê Soares através do projeto Jimi, o gato do telhado no Catarse, um trabalho de financiamento coletivo super fofo de um livro lúdico infantil (baseado em fatos reais) para aflorar nas crianças o carinho pelos animais. Por adorar o projeto e por ter me […]